A surpreendente arquitetura Art Nouveau nas ruas de Praga

Tempo de leitura: 3 minutos

 

 

Por Rogerio Ruschel (*)

A pedido de leitores do post “A Art Nouveau nas ruas de Praga: a arquitetura kafkafiana”, publicado aqui no In Vino Viajas dia 3 de junho, procurei nos meus arquivos mais algumas fachadas e detalhes arquitetônicos dos prédios de Praga.

 

 

A arquitetura art nouveau é criativa e inventiva, e em Praga e na República Tcheca (então ainda Thecoeslováquia) foi realizada por arquitetos como Ohmann, Bedrich Bendelmayer, Alois Dryak, Oskar Polivka, Antonin Balsanek, Josef Fanta e Alois Korda. Veja neste post fachadas e detalhes arquitetônicos, como os abaixo.

 

Praga é realmente uma cidade muito interessante. É diferente de outras cidades européias pela história, cultura, idioma, arquitetura – pela cor, avermelhada.

 

Praga é criativa, colorida, simpática, fácil de se locomover, mas acho que o traço mais marcante de Praga é sua “cara art-nouveau”: a cidade inteira é surpreendente – até mesmo em portas enormes como abaixo (eu e minha mulhere estamos como referência de porte).

 

A Art Nouveau é um estilo de arte, arquitetura, mobiliário e arte aplicada que se tornou muito popular entre o fim do século XIX e o começo do século XX.

 

Talvez o grande influenciador do estilo tenha sido o artista tcheco Alphonse Mucha, a partir de 1895 com seus pôsteres de propaganda das peças de Sarah Bernhardt e outros materiais artísticos, publicitários e para embalagens – veja abaixo.

 

O estilo de Art Nouveau em Praga foi associado com o Renascimento Nacional Tcheco; em Tcheco, Art Nouveau é conhecido como Secese, um nome adotado do termo Austríaco “secessionismo”. Secções “fin du siècle” de Praga revelam prédios modestos incrustados com imagens de folhas e mulheres que curvam e giram através das fachadas.

 

Exemplos de Art Nouveau na cidade, juntamente com os exteriores de muitos prédios de apartamento e comerciais, são a Casa Municipal, o Hotel Pariz, o Mercado Municipal de Smíchov, Hotel Central, as janelas da capela St.Wenceslas na Catedral St. Vitus, a estação de trem principal, o Hotel Grand e a “Jubilee Synagogue” – mas também os detalhes de alguns prédios como abaixo.

 

A Art Nouveau foi mais popular na Europa, mas sua influencia foi global. Na França, as entradas do metro em Paris feitas por Hector Guimard eram do estilo Art Nouveau (veja na foto abaixo) e em Nancy, pelo arquiteto Emile Gallé.

 

Victor Horta foi importante na arquitetura Art Nouveau na Bélgica: seu projeto de quatro casas de campos em Bruxelas e outras obras como o prédio abaixo, foram incluídas em 2002 como “obras de criatividade humana genial” em relatório da UNESCO.

 

Apesar de o Art Nouveau ter sido substituído pelos estilos modernistas do século 21, é atualmente considerado uma importante transição entre o historicismo do neoclassicismo e o modernismo.

 

Monumentos Art Nouveau são agora reconhecidos pela UNESCO em sua lista de patrimônio mundial como contribuições significativas para o patrimônio cultural, como o centro histórico da cidade de Riga, na Letônia (foto abaixo), com “a melhor coleção de construções Art Nouveau na Europa”.
(*) Rogerio Ruschel – rruschel@uol.com.br– é jornalista de turismo e consultor especializado em sustentabilidade e foi a Praga por conta dele mesmo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *