No Caminho de Compostela conheça o “Bus do Viño Rías Baixas”, o enoturismo móvel dos espanhóis na vindima na Galícia

Tempo de leitura: 4 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)
Os milhares de peregrinos que fazem o Caminho de Santiago de Compostela agora podem fazer outro caminho da fé, desta vez um caminho de “fé enófila”, com perdão da expressão: acompanhar a colheita da uva Albariño e seguir a produção do vinho em um onibus exclusivo, o Bús do Viño Rias Baixas, que vai passar por lugares “horríveis” como este da foto acima.
 Bem no noroeste da Espanha, de frente para o oceano atlântico (onde apresenta belos costões como o da foto abaixo) e fronteiriça com o norte de Portugal (Minho e Trás-os-Montes), fica a Galícia, uma comunidade autônoma espanhola da qual a cidade mais badalada é a capital Santiago de Compostela; outras cidades galegas conhecidas são Vigo, Coruña e Lugo, além de Pontevedra e Ferral, municípios com grandes vinhedos.
Pois esta região, originalmente de cultura celta, produz vinhos há muitos séculos e possui várias Denominações de Origem (D.O.s) próprias, sendo que uma delas, definida em 1980 especialmente no território da província de Coruña, é a D.O. Rías Baixas. Veja abaixo o mapa com todas as regiões demarcadas espanholas (a Galicia fica bem à esquerda, acima), e mais abaixo o mapinha só das D.O.s da Galicia.
E é claro que os produtores de uvas e vinhos da região criaram um roteiro enoturístico: a Rota do Vinho Rías Baixas, que tem seu epicentro na região do Salnês, importante economicamente e o segundo pólo de atração turística mais importante da Galícia, depois de Santiago de Compostela.
Pois desde o começo de setembro, como parte das atividades da colheita da uva, cerca de 15 bodegas (ou caves, produtoras de vinhos) participantes da Ruta do Viño Rias Baixas em Pontevederas e Coruña colocaram em funcionamento o “Bus do Viño Rías Baixas”. Trata-se de um onibus exclusivo para turistas que vai percorrer a rota dos vinhedos durante os sábados, até 26 de outubro, fim da temporada da vindima, passeando por vinhedos como os da foto abaixo.
O visitante visitará sempre tres bodegas (caves) em rodízio, com direito a preços especiais nos vinhos e nos almoços; poderá experimentar as famosas empanadas (abaixo), choriços e cozidos galelos e visitará o patrimônio histórico e arquitetônico de Cambados e Salvaterra de Miño.
Cambados é uma cidade tombada como patrimonio histórico espanhol, capital da uva e do vinho Albariño e sede da Ruta do Viño Albariño de Cambados, com 13 bodegas, que faz parte do roteiro do onibus. O vinho Albariño é considerado um dos melhores brancos do mundo, com acidez alta e marcante, nariz cítrico, boca mineral e de gosto prolongado. Na minha opinião, é ótimo: parece uma mistura equilibrada de Gewurtztraminer, Riesling e Sylvaner, mas tem identidade própria. É feito com uma uva exclusiva da Galícia (veja abaixo), certificada como D.O. apenas nos vinhedos do Valle del Salnés, em Rosal, no Condado del Tea, em Soutomaior e no Val do Ulla, e gera um vinho aromático e frutado com 13% vol. de álcool natural
E só para você saber, as outras uvas brancas permitidas na DO Rias Baixas são Treixadura, Torrontés, Godello, Caiño Blanca e Loureira Blanca, que produzem o também conhecido vinho Ribeiro, que no passado fez a fama da Galicia.
Já Salvaterra de Miño, outro vilarejo do tipo turístico, tem muralhas antigas, uma igreja muito simpática (abaixo) e está ligado a Portugal por uma ponte sobre o Rio Minho (veja abaixo, o antigo cais sobre o rio Minho).
O passeio tem entre 8 e 10 horas de duração, com saidas de Pontevedra e Vigo e custa 12 Euros. É claro, que já estando lá, o turista vai aproveitar e visitar outras coisas, como por exemplo, os castros, recintos fortificados de forma circular, uma herança arqueológica construida pelos antigos celtas ainda na Idade do Cobre (veja foto abaixo).
Um brinde às boas idéias.
Cambados, na Galícia, Espanha, é a Cidade Europeia do Vinho 2017: conheça seu patrimônio cultural, história e seus vinhos Alvarinho da D.O. Rias Baixas – http://migre.me/w3abw
(*) Rogerio Ruschel é jornalista e enófilo independente e tem experimentado muitos vinhos espanhóis deliciosos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *