Duomo de Florença: a obra de 600 anos que venceu o tempo, a peste, a falta de recursos e os limites da Arte

Tempo de leitura: 3 minutos

 

Por Rogerio Ruschel (*)
O Duomo de Florença é um dos mais belos patrimônios históricos da humanidade. Mas também foi um dos mais demorados para ser feito: da pedra fundamental (em 1296, a partir de um projeto de Arnolfo di Cambio) ao estado como o conhecemos hoje levou mais de 600 anos.

 

A fachada (abaixo) foi concluída somente em 1887. O Duomo foi construído no lugar da antiga catedral dedicada a Santa Reparata que funcionou durante nove séculos até ser demolida completamente em 1375. A ironia é que, depois de pronto, o Duomo se tornou uma clara demonstração do poder e da riqueza de Florença.

 

Muitas foram as razões para este atraso, mas em resumo, foram duas as principais: primeiro, faltou dinheiro. Quem inventou de fazer uma nova basílica para a cidade (o notário Ser Mino de Cantoribus) esperava que a população contribuísse com a obra, e mesmo obrigando que todos os testamentos passassem a incluir uma cláusula de doação para as obras, não foi fácil manter o fluxo de caixa de uma obra com mármores, bronzes, telas, estátuas e detalhes sofisticados.
A segunda razão é uma mistura de vaidade e fragilidade humana. Enquanto alguns poderosos ficavam modificando projetos, muitos arquitetos faziam fofocas e buscavam o famoso QI (Quem Indica) para assumir as obras. Sobre fragilidade, estamos falando do ser humano: as pessoas morriam e precisavam ser substituídas – tanto quem liberava o dinheiro, quanto quem estava construindo a igreja.

 

 

Um exemplo é o que aconteceu em 1348, quando o quarto arquiteto estava trabalhando e a obra parou por um longo tempo por causa da peste negra que reduziu a população da cidade de 90 mil para 45 mil habitantes.

 

De qualquer maneira o Duomo de Florença – que se chama oficialmente Basílica di Santa Maria del Fiore – foi terminado e é magnífico. Tem uma cúpula monumental feita pelo arquiteto Brunelleschi que escondeu o projeto original e criativo para susxtentar a lanterna e o telhado a 50 metros de altura, uma inovação na época e só o entregou depois que ganhou uma concorrência. Dentro da cúpula está uma pintura de Vasari, magnífica (abaixo).

 

E um campanário (414 degraus!) de Giotto di Bondonne, o conhecido pintor Giotto, que morreu quando pintava “O Juízo Final” para a capela de Bargello e foi enterrado “no piso da obra”. Na época da construção o Duomo enfrentou limitações e problemas de arquitetura e construção, sendo o maior em vários quesitos, por muitos anos.

Ao lado do Duomo está o Batistério (em primeiro plano, na foto abaixo), que ao que parece é o edificio mais antigo de Florença. Seu projeto é do século XI e foi construído no lugar de um antigo templo romano dedicado a Marte. Tem oito lados (octagonal), o exterior é revestido com um belíssimo mármore branco e verde e tem tres magníficos portões de bronze – um de Andrea Pisano (o sul, terminado em 1336) e os outros dois de Ghiberti (o norte, de 1424 e o leste, entregue em 1454, chamado de o “Portão do Paraíso” por Michelangelo).

 

A planta do Duomo é basilical (um grande espaço interno aberto), e tem três naves divididas por grandes arcos suportados por colunas gigantescas. Tem 153 metros de comprimento por 38 metros de largura e 90 metros no transepto (a área que forma a “cruz” na planta baixa). Os arcos se elevam até 23 metros de altura, e o cume da cúpula chega a 90 metros.

 

Dentro da Basílica podem ser encontrados vitrais com imagens de santos do Velho e Novo Testamento, monumentos, estátuas, bustos e telas – entre as quais a pintura “Dante e a Divida Comédia”, de Domenico di Michelino e afrescos de FraFilippo Lippi (veja abaixo),  um relógio de Paollo Ucello com hora itálica (que começa com o nascer do sol) e relevos, cerâmicas e portas de bronze internas de Luca della Robbia. Um brinde a isso, caro leitor!

 

(*) Rogerio Ruschel é jornalista, consultor em sustentabilidade socioambiental, enófilo e gosta muito de duomos em geral

 

4 Comentários


  1. Adoramos as dicas e fatos históricos mencionados. Veio bem a calhar. Estamos em Florença, visitamos o Duomo, subimos até o ultimo dos mais de 400 degraus, e agira graças ao blog sabemos mais sobre a sua historia. Vamos comemorar com um Brunello de Montalcino em tua homenagem. Obrigado tio. Bjs Raquel e Eduardo.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *