Pastor religioso produtor de vinho na África do Sul atende as “Revelações” da Bíblia e faz a vindima completamente nu

Tempo de leitura: 2 minutos

Por  Rogerio Ruschel (*)
O Vale Elgin é um planalto bonito e fértil rodeada por montanhasna região de Overberg, na África do Sul, cerca de 70 Km ao sudeste deCidade do Cabo (45 minutos de carro), um pouco além das montanhas de Hottentots Holland. A principal cidade é Grabouw, que tem fama de ter bons restaurantes. O Vale Elgin (fotos abaixo) é um grande produtor de alimentos frescos e é internacionalmente conhecido como o lugarna África do Sul de onde vêm as maçãs – cerca de 60% da safra nacional.
Mas neste vale exuberante e rodeado por montanhas também se produzem outras frutas, azeite de oliva e vinhos. Quando você for até lá vai poder conhecer a rota de enoturismo chamada “Elengantly Elgin Wine Route”, criada por 18 vinicultores que produzem vinhos especialmente com a uva tinta Pinotage e as uvas brancas Sauvignon Blanc, Chardonnay,  Chenin, Riesling, Viognier e Gewurtztraminer.

O enólogo e pequeno produtor Bertus Osbloed van Niekerk (foto abaixo amassando as uvas), de franca ascendência holandesa que também é um pastor em tempo parcial nnao participa da rota do vinho Elgin; ele compra uvas na região e produz anualmente cerca de 240 garrafas de vinho branco Riesling com a marca Openbaring (que no idioma Africâner significa “Revelações”, o último livro da Bíblia) em sua garagem, no vilarejo de Somerset West. Veja abaixo o detalhe do rótulo do vinho do pastor harmonizando com salsichões brancos.

Pois não se sabe se esta foi uma das “revelações” da Bíblia que o pastor estuda, mas na colheita 2014 (realizada há 15 dias, no começo de março), o pastor pediu ajuda da Associação de Nudistas de Cidade do Cabo para colher as uvas. Conseguiu: no dia da colheita oito pessoas completamente peladas passaram o dia todo colherando uvas e festejando efusivamente a vindima. O pastor-produtor disse que a ideia lhe ocorreu para demonstrar que seus vinhos são naturais, sem produtos químicos…
Van Niekerk diz que não é um naturista, mas que ele e sua esposa poderiam visitar a praia de nudismo Sandy Bay, na Cidade do Cabo, pelo menos uma vez por ano para ele nadar “peladão”. Sua esposa é uma artista que desenha os rótulos de vinho e quando soube do evento disse que não participaria, mas lá no dia da colheita, um sábado, estava com o marido vestindo apenas chapéu, sandálias e protetor solar. Rob Semple, o proprietário da fazenda onde Van Niekerk colheu as uvas não se convenceu e acompanhou a colheita completamento vestido. 
O pastor conseguiu visibilidade, porque até o In Vino Viajas, este blog feito no Brasil vai contar a história dele para leitores em 87 países. Fica a pergunta, meu caro leitor: será que os tradicionais produtores de vinho do Vale Elgin (todos muito sérios) ficaram felizes com a publicidade desnuda conseguida pelo pastor Van Niekerk? Vamos saber na colheita de 2015…
Fontes: reportagem de Bianca Capazorio no jornal Times Live, da África do Sul em 17/03/2014 e site do Elgin Valley Wine Route (fotos com o logotipo)
(*) Rogerio Ruschel mora e trabalha em São Paulo, Brasil, é jornalista, enófilo e gosta de participar de vindimas – mas usando roupas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *