Conheça as 24 vinícolas brasileiras com prêmios internacionais no World Ranking Wines & Spirit 2014 – o ranking dos rankings

Tempo de leitura: 6 minutos

 

Por Rogerio Ruschel (*)

É muito importante para uma marca de vinho conquistar prêmios, porque estes são indicadores de sucesso e de qualidade para o consumidor final. Por isso vinícolas que investem em melhores uvas, melhores solos (como o vinhedo da foto abaixo, no sul do Brasil) e melhores práticas industriais, investem também em concursos para obter o reconhecimento de críticos, sommeliers, enólogos, fabricantes, blogueiros e jornalistas porque eles certamente influenciam as vendas dos produtos.

 

No mundo do vinho existem muitos concursos, e a World Association of Wine Writers and Journalists – WAWWJ (Associação Mundial de Jornalistas e Escritores sobre Vinhos em livre tradução) organiza o World Ranking Wines & Spirit, um ranking dos rankings porque soma a pontuação das empresas e dos vinhos a partir dos prêmios conquistados em concursos internacionais durante o ano. Em 2013 foram realizados 490 concursos de vinhos no mundo; destes a WAWWJ coletou os dados de apenas 75 concursos considerados internacionais por terem concorrido vinícolas de pelo menos 5 países e de cuja Comissão Julgadora participou pelo menos um associado da entidade. Para a consolidação do World Ranking Wines & Spirit 2014 foram avaliados mais de 650.000 rótulos de vinhos de todo o mundo. Os dados são fechados no fim de janeiro de cada ano posterior, e os resultados são divulgados no inicio de abril.

 

 

Pois os resultados do Ranking 2014 (desempenho em 2013) mostram que 24 vinícolas brasileiras (especialmente da serra gaúcha) ganharam Prêmios internacionais e que a Cooperativa Vinícola Aurora continua sendo a mais premiada, repetindo o desempenho de anos anterores. A Aurora é também a maior do Brasil, com 1.100 famílias cooperadas que produzem aproximadamente 55 milhões de quilos de uvas que se transformam em 42 milhões de litros de vinhos, sucos e espumantes. Na foto acima, a entrada da cidade de Bento Gonçalves, na serra gaúcha, principal pólo produtor de vinhos do Brasil.

 

Segundo os dados oficiais do Ranking Wines & Spirit 2014, em 2013 a Cooperativa Vinícola Aurora conquistou 43 prêmios em 18 competições internacionais, alcançando a pontuação de 898,52pontos. Em segundo lugar aparece a Casa Valduga, com 17 prêmios e 431,52 pontos em 8 concursos, e em terceiro lugar a Cooperativa Vinicola Garibaldi, com 13 prêmios e 267,09 premios também em 8 concursos. Veja abaixo a lista completa das vinícolas brasileiras premiadas em 2013. 

 

Lourdes Counci, gerente de marketing da Vinícola Aurora destaca alguns destes prêmios: “A Aurora participa dos grandes concursos mundiais e costumeiramente conquista medalhas em cada uma dessas participações. Podemos destacar alguns dos mais significativos no cenário internacional: Chardonnay du Monde, na Borgonha (que avalia vinhos tranquilos e espumantes feitos com a uva Chardonnay, de todas as regiões do mundo), Vinalies, Muscats du Monde (que avalia vinhos do mundo elaborados com as variedades Moscato), International Wine Challenge (Inglaterra), Decanter Awards (da maior revista de vinhos do mundo, a britânica Decanter), entre outros.” A Vinícola Aurora classificou cinco vinhos entre os 10 brasileiros mais bem colocados, e levou inclusive o titulo de “WRWS Vinho 2014 do Brasil”, o AuroraMoscatel, que conquistou sete prêmios em sete competições, alcançando a pontuação total de 171,75 pontos. 

Produtores menores também participam. José Venturini, enólogo e diretor da Casa Venturini, de Flores da Cunha, que foi rankeada em 13o. lugar, com 3 prêmios internacionais em 2013 para o Casa Venturini Chardonnay Reserva 2011, destaca: “Este é um vinho premiado sempre, todas as safras estão muito boas e ganhamos vários concursos nacionais e internacionais com esse rótulo – é o nosso protagonista.” A empresa tem também uma unidade em São Roque/SP – a Vinícola Góes – que passa por um processo de revitalização das uvas e, segundo Venturini, “já mostra bons resultados com uvas viníferas como Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc; no futuro vamos poder inscrever em concursos também”.
Mas o Ranking Wines & Spirit 2014 não parece ser uma unanimidade. Flavio Pizzato, da Vinicola Pizzato (que, aliás, produz um ótimo Merlot, do qual gosto muito), o desconhece. Segundo ele, “Mais valem notas em publicações respeitadas como a Decanter, revistas alemães de vinhos, revistas americanas do que concursos onde os vinhos são tantos que fica difícil ser “sorteado”, de modo que mais vale mandar muitas amostras para aumentar as chances.” Segundo ele, “a Pizzato disputa o topo e premiações como empresa que vende vinhos com grandes atributos” – e de fato no site tem muitos prêmios para mostrar – pelo menos em âmbito nacional.
Veja abaixo a tabela completa dos vinhos brasileiros mais bem avaliados internacionalmente em 2013.

 

O Ranking Wines & Spirit 2014 também faz um lista dos Melhores Vinhos do Ano, da qual fazem parte todos os vinhos que tenham recebido uma pontuação mínima anual de 125 pontos, o equivalente a cerca de quatro medalhas de ouro em competições internacionais. Pois o Brasil emplacou quatro rótulos nesta lista, dos quais três são da Vinícola Aurora (Aurora Moscatel, Aurora Reserva Merlot 2011 e Marcus James Espumante Brut) e um da Cooperativa Vinícola Garibaldi, o Garibaldi Espumante Moscatel.

No ranking 2013 (com prêmios conquistados durante 2012) a Vinícola Aurora também havia sido a lider brasileira, com 29 prêmios em 10 concursos, alcançando uma pontuação total de 739.95 pontos. E segundo Lourdes Counci tem tudo para repetir o desempenho no Ranking 2015: “Em termos de prêmios internacionais o ano de 2014 está sendo muito positivo: temos até agora 22 medalhas conquistadas e ainda temos o segundo semestre pela frente, quando deverão ocorrer vários concursos internacionais importantes dos quais a Aurora tradicionalmente participa.” E segundo o que a empresa está divulgando neste momento, “os prêmios da Aurora em 2014 representam 27% do total conquistado por vinhos brasileiros no ano”.

 

A Vinícola Aurora evoluiu, portanto – o que não aconteceu com o Brasil como um todo, lamentávelmente. Em 2014 o Brasil foi o 23o. pais do ranking dos 100 maiores produtores em 2013: conquistou 183 prêmios em 21 concursos dos quais participou durante o ano de 2013, alcançando 3.489,01 pontos para a Classificação Mundial de Vinhos do ano 2014 – veja na tabela acima. Em 2013 o Brasil havia sido o 18o. produtor mais premiado, por ter obtido 227 prêmios em 18 concursos dos quais participou durante o ano de 2012, alcançando a pontuação de 5.956,69 pontos para a Classificação Mundial de Vinhos do ano 2013. Talvez as vinícolas tenham participado menos de concursos em 2013, mas o resutado final é este: andamos para trás – muito para trás.  E se compararmos com outros países como Argentina e Chile, a situação é ainda pior. Para ver detalhes do World Ranking of Wines and Spirits 2014 acesse

Para conhecer o desempenho de outros países no mercado mundial acesse:

(*) Rogerio Ruschel é jornalista, enófilo, mora em São Paulo, e como todo, mundo gosta de vinhos de qualidade – brasileiros ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *