Pisco peruano e prêmios internacionais: conheça as vinícolas peruanas listadas no WRW&S 2014, o ranking dos rankings

Tempo de leitura: 4 minutos

 

Por Rogerio Ruschel (*)
No mundo do vinho existem muitos concursos, e a World Association of Wine Writers and Journalists – WAWWJ (Associação Mundial de Jornalistas e Escritores sobre Vinhos, em livre tradução) organiza o World Ranking Wines & Spirit, um ranking dos rankingsque soma a pontuação das empresas vinícolas e dos vinhos e destilados a partir dos prêmios conquistados em concursos internacionais durante o ano. 
Em 2013 foram realizados 490 concursos de vinhos no mundo; destes a WAWWJ coletou os dados de 75 deles, concursos nos quais foram premiados fabricantes de pelo menos 5 países e por serem importantes para a indústria. Para a consolidação do World Ranking Wines & Spirit 2014 foram avaliados mais de 650.000 vinhos destilados de todo o mundo. Os dados são fechados no fim de janeiro de cada ano posterior, e os resultados são divulgados no inicio de abril. 

 

Embora tenha ganho prêmios também por espumantes e vinhos tinto, o Peru se destaca pela produção de pisco, sua bebida nacional (foto acima). Segundo pesquisadores, a bebida herdou o nome do pote cônico de cerâmica (veja abaixo) em que eraoriginalmente envelhecido no século XVI pelos colonizadores espanhóis durante o Vice-Reino do Peru, e também era o nome de um dos locais onde foi produzido: Pisco. 

 

O pisco é uma bebida com 35% a 60% de álcool, destilada a partir de uvas aromáticas (Italia, Albilla, Torontel e Moscatel) ou não aromáticas (Quebranta, Negra Criolla, Mollar e Uvina) além de blends com uvas viníferas internacionais como Merlot, Cabernet e Malbec que crescem especialmente nas encostas do místico Vale Ica, na Província de Pisco, perto do movimentado portode Pisco e das também famosas “linhas de Nazca”. (Abaixo, vinhedo peruano).

 

 

O Peru foi o trigésimo sétimo país mais premiado no World Ranking Wines & Spirit 2014, à frente de outros 30 países da Europa, América do Sul e Ásia, alguns dos quais com tradição milenar na produção de vinhos e destilados – como a Ucrânia, Chipre e Armênia – e outros com grandes mercados ou capacidade de consumo como Rússia, índia, Bélgica, Holanda, Suécia e Dinamarca. Nestes países, como de resto no mundo inteiro, o pisco peruano conquistou fama internacional como parte essencial de um coquetel delicioso chamado pisco sour, badalado na imprensa e nos filmes de Hollywood.

 

Pela pesquisa do World Ranking Wines & Spirit 2014 o Peru conquistou 34 prêmios em noveconcursos em 2013, nos quais 33 diferentes produtos – especialmente o pisco – ganharam pelo menos um prêmio, acumulando 896,88 pontos para a classificação mundial de vinhos de 2014.

 

A Melhor Empresa Vinícola do Peru (The Best Wine Society WRWS 2014) foi a Bodegas y Vinedos Tabernero S.A.C. com 6 prêmiosem 2 competições (CBM e Vinalies), alcançando a pontuação de 197,50 pontos – três medalhas e Ouro e três medalhas de Prata para produtos como os da foto acima. A Agricola Viña Vieja Viña Santa Isabel S.A.C. havia sido a empresa mais premiada no ranking de 2013, quando havia conquistado 6 prêmios em 2 concursos realizados durante o ano de 2012, alcançando  um total de 224,48 pontos. Veja a colocação das 10  vinícolas peruanas premiadas no quadro abaixo.

 

O melhor vinho peruano em 2014 (Best WRWS Wine 2014) segundo a World Association of Wine Writers and Journalists (WAWWJ) foi o Viejo Tonel Torontel 2012 (abaixo), com dois prêmios em duas competições, atingindo a pontuaçãototal de 57,00 pontos.
 

 

Na edição de 2013 (prêmios conquistados em 2012) o melhor vinho peruano foi o La Botija Pisco Italia 2011 com um prêmio em um concurso durante 2012, atingindo a pontuaçãototal de 56,53 pontos. Veja o quadro abaixo com todos os vinhos peruanos listados em 2013.

 

 

 

Para conhecer a metodologia, os critérios, os concursos considerados e ver detalhes da premiação de cada vinho, acesse http://www.wawwj.com/2014/_SP/home.php
Para conhecer o desempenho de outros países no mercado mundial acesse:
(*) Rogerio Ruschel é jornalista e editor do “In Vino Viajas”, o mais internacional blogue de enoturismo, cultura do vinho e turismo de qualidade do Brasil, com leitores em 98 paises. Conheça em http://invinoviajas.blogspot.com.br/
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *