Espumantes brasileiros investem em qualidade e conquistam mais respeito internacional: brindemos a isso!

Tempo de leitura: 3 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)
Os espumantes brasileiros vêm conquistando cada vez mais espaço no mercado mundial. Segundo dados da Associação Brasileira de Enologia (ABE) nos concursos internacionais realizados em 2014, das 377 premiações de bebidas brasileiras, 229 foram destinadas a espumantes, representando 60%. Na premiação mais recente, 12 produtos brasileiros conseguiram destaque no especializado concurso Effervescents du Monde, realizado de 18 a 20 de novembro em Dijon, França (Borgonha), que reuniu 606 vinhos de 24 países avaliados por cerca de 100 degustadores. Os resultados em Medalhas de Ouro e Prata foram os seguintes: França: 121 – Espanha: 18  – Italia: 14 – Brasil: 12  – Suiça: 7 – Chile e Argentina: cada um. Outros paises como Alemanha, Portugal e Australia: 1. Na foto abaixo, de Janice Prado, o especialista ingles Steven Spurrier avalia espumantes brasileiros.

 

 

Como o sistema de avaliação da Effervescents du Monde é bastante rigoroso, os 12 espumantes brasileiros premiados que colocam o Brasil como o quarto produtor com mais prêmios nesta edição, realmente merecem destaque. Eu tenho preferido espumantes brasileiros porque são excelentes, mas certamente não podemos exagerar dizendo que “a qualidade e a sofisticação da bebida fez a França se render aos encantos das espumantes verde-amarelo” como já li por ai. Vamos elogiar, sim, mas sem ufanismos exagerados: nesse concurso especifico a França teve 10 vezes mais produtos premiados que o Brasil.

 

Os espumantes brasileiros premiados são os seguintes:
Medalhas de Ouro
Casa Valduga Espumante Brut 130 – Casa Valduga Vinhos Finos (foto acima)
Peterlongo Presence Espumante Moscatel Rosé – Estabelecimento Vinícola Armando Peterlongo
Perini Espumante Nature Extra Brut – Vinícola Perini
Medalhas de Prata
Amaze Sparkling Chardonnay Brut – Cooperativa Vinícola Garibaldi
Brazilian Soul Moscato Rosé Sparkling Wine – Cooperativa Vinícola Aurora
Casa Valduga Arte Tradicional Espumante Brut Rosé 2013 – Casa Valduga Vinhos Finos
Garibaldi Espumante Chardonnay Brut – Cooperativa Vinícola Garibaldi
Gazzaro Espumante Natural Traditional Brut – Vinícola Gazzaro
Lunar Espumante Prosecco – Famiglia Zanlorenzi
Lunar Ouro Espumante Brut – Famiglia Zanlorenzi
Salton Espumante Brut Reserva Ouro – Vinícola Salton
Marca coletiva
Os produtores de espumantes brasieiros estão trabalhando para merecer estes prêmios e outros que certamente virão, porque nossos produtos são mesmo muito bons. A iniciativa mais recente foi o reconhecimeto pelo INPI de uma marca coletiva para espumantes de qualidade: a marca se chama CPEG (veja abaixo) e 14 produtores já foram certificados para usá-la.

 

A ideia é identificar produtores que investem em qualidade em um mercado no qual aparecem muitos produtos de quaidade inferior, e com isso preservar a imagem (crescente) de qualidade de nossos espumantes. A identificação dos espumantes certificados é feita por meio de um selo aplicado na garrafa, que contém dados como produtor, tipo de espumante, data de tiragem, número do lote, quantidade de garrafas e número da garrafa. Na foto abaixo produtores recebem seu certificado em evento em Garibaldi, dia 26 de novembro de 2014.

 

Garibaldi, Rio Grande do Sul, é a capital brasileira do vinho espumante. É no municipio, no Vale dos Vinhedos, que é produzido o maior volume de espumantes (que tem ótimos rótulos também na campanha gaúcha) e onde está a maior cave de espumantes da América Latina, a da Casa Valduga, que comporta cerca de seis milhões de garrafas. Segundo o proprietário, Juarez Valduga, o sucesso dos espumantes tem só uma explicação: dedicação. “Não foi de uma hora pra outra; o crescimento do consumo de espumante brasileiro é fruto de um trabalho de 20 anos dos produtores da bebida. A dedicação, o estudo do método tradicional, a tecnologia, tudo isso faz com que estejamos colhendo bons frutos”. Trabalhar duro, com seriedade e cuidado, dá resultados: brindo a isso.
(*) Rogerio Ruschel editor deste blogue, tem preferido espumantes brasileiros, mas como jornalista consciente evita ufanismos verde-amarelos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *