Reguengos de Monsaraz, no Alentejo, Portugal, é a Cidade Europeia do Vinho de 2015

Tempo de leitura: 4 minutos

–>

Por Rogerio Ruschel (*)
Como Cidade Europeia do Vinho, ao longo de 2015 a região alentejana formada por Reguengos de Monsaraz, Évora, Elvas e Monsaraz (foto acima) vai organizar um conjunto de atividades para agregar valor a sua ligação com a cultura vinícola. Entre os eventos estão planejados um Congresso Internacional da Vinha e do Vinho, um Congresso Internacional das Polifonias, o Encontro Europeu de Confrarias Enogastronômicas, a participação na Bolsa de Turismo de Lisboa, o Mercado Esporão Slow Food Alentejo e a instalação do espaço “Vinho com Arte” no Palácio Rojão de Reguengos de Monsaraz(veja mais abaixo) para exposição, promoção, venda e provas de vinhos da região.

–>

O Alentejo é conhecido por suas grandes planícies, como as da foto acima – que comemorativo da Cidade Europeia do Vinho. Os organizadores também pretendem realizar estágios para jovens viticultores europeus com seminários dirigidos por especialistas certamente serão invadidas por turistas. Além dos eventos técnicos serão organizados eventos turísticos como sessões de observações astronômicas com provas ou jantares e colheitas noturnas de uvas que serão destinadas à criação de um vinho e visitas a produtores de vinho da região – como o vinhedo da foto abaixo.

–>

Em agosto de 2014 o Alentejo foi eleito a melhor região vinícola do mundo para visitar pelos leitores do jornal USA TODAY; a Rota do Vinho do Alentejo tem três percursos principais:
1)    O Caminho de São Mamede, que inclui Alter do Chão (com seus famosos cavalos lusitanos criados desde 1748); o Crato (sede da antiga Ordem da Malta, criada em 1350) e Portalegre, a maior cidade deste roteiro, visitada por sua arquitetura barroca, monumentos históricos e tapeçaria;

–>

2)    O Itinerário Histórico, que inclui Évora (foto acima), tombada como Patrimônio Histórico da Humanidade; a cidade de Arraiolos (onde são feitos os tapetes com este nome); o Castelo de Estremoz; os menires do Cromeleque do Xerex, perto de Monsaraz, construído cerca de 3.000 A.C.; Reguengos de Monsaraz, o mais importante centro produtor de vinhos do Alentejo e o vilarejo de Monsaraz, com suas ruas medievais (foto abaixo, de Antonio Caeiro)

–>

3)    Nas Margens da Guardiana é o terceiro percurso que inclui cidades menores como Viana do Alentejo, Alvito, Vidigueira, Moura e Mourão – todas com herança histórica do periodo medieval.

–>

Há cerca de 70 adegasespalhadas por toda a região do Alentejo (e muitas oferecem alojamento, gastronomia e muitos programas de atividades ao ar livre) que produzem vinhos em 8 sub-regiões demarcadas (como os vinhos de Mouchão, Cartuxa ou o badaladissimo Pera-Manca). Eu gosto muito do vinho Olaria Suave da Carmim, uma cooperativa com 800 associados que também produz azeites. Come-se muito bem no Alentejo – prove o  arroz de tamboril, de miúdos ou de pato; amêijoas, bacalhau à Braz, cabrito assado (foto abaixo), gaspacho com peixe frito, açorda alentejana (sopa azeiteira), pão alentejano, perdiz estufada, além de queijos (como os de Serpa, de Évora e de Nisa) e embutidos.

–>

A escolha de Reguengos de Monsaraz como Cidade Europeia do Vinho 2015 foi feita dia 27 de novembro pela diretoria da Rede Europeia das Cidades do Vinho (RECEVIN), reunida em Jerez de La Frontera (Espanha), Cidade Europeia do Vinho 2014. Reguengos de Monsaraz  (que movimento cerca de 40 milhões de Euros com a indústria vinicola) candidatou-se em parceria com Évora e Elvas, cidades com bens culturais importantes tombados como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Deste jeito a cidade poderá também exibir seu patrimônio histórico ainda não totalmente reconhecido, como o Palácio do Rojão, que passou por grande projeto de restauro – veja abaixo uma das escadarias.

–>

Portugal era o destino escolhido para 2015 e Reguengos concorreu com outras duas regiões vitivinícolas portuguesas, as regiões de Bairrada (município de Cantanhede) e os Vinhos Verdes Alvarinho (municípios de Monção e Melgaço). Em Portugal Palmela já havia sido distinguida com este titulo em 2012. A iniciativa Cidade Europeia do Vinho é uma parceria entre a Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) e a RECEVIN para valorizar os territórios e a cultura do vinho. Fazem parte da RECEVIN Espanha, Portugal, Alemanha, Áustria, Eslovênia, França, Grécia, Hungria e Itália. Cerca de 800 cidades destes países são unidas pela cultura do vinho.

O Alentejo foi eleito o melhor destino enoturístico do mundo:  http://www.invinoviajas.com/2014/09/alentejo-portugal-e-eleito-o-melhor/
(*) Rogerio Ruschel, editor do In Vino Viajas, mora e trabalha em São Paulo, Brasil, mas as vezes a cabeça está em Portugal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *