As aventuras de John Malkovich que produz vinhos na Provence francesa e se diverte recriando clássicos da fotografia mundial

Tempo de leitura: 3 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu caro leitor, se você gosta de cinema conhece John Malkovich. Norte-americano bem nascido, filho de um conhecido engenheiro ambiental e uma mãe jornalista, John participou de mais de 50 peças de teatro (a maioria textos clássicos) e aos 30 anos, em 1984, começou uma longa filmografia. O primeiro grande sucesso veio no papel de Valmont em Ligações Perigosas, em 1988’outros títulos com indicações para prêmios são O Império do Sol, de 1987,  Ratos e Homens, de 1992,  A Lenda de Beowulf, de 2006, e Transformers: O Lado Oculto da Lua de 2011. Isso sem falar num filme muito doido chamado “Being John Malkovich”, de 1999, onde ele interpreta uma versão fictícia de si mesmo ao lado de John Cusak e Cameron Diaz.

Mas o John Malkovich que quero te apresentar é um artista criativo e um apaixonado pelo mundo do vinho e pela gastronomia. O artista vai muito além de personagens em mais de 50 peças de teatro e 60 filmes. Em 2013, por exemplo, ele criou uma linha de roupas masculinas para a marca Technobohemian de lojas da qual é prioprietário; dizem que ele desenhava as peças durante os intervalos das filmagens. Veja algumas destas peças na foto abaixo.

Malkovich sempre gostou dos países ibéricos França (onde morou) e Portugal. Na França é dono desde 1997 da Les Quelles, uma propriedade perto da aldeia Lacoste, na Provença, na qual com sua mulher Nicoletta Peyran, (italiana de familia francesa) e suas duas filhas, decidiu produzir vinhos. Embora o mais indicado fosse trabalhar com uvas Syrah, os Malkovich decidiram plantar Cabernet Sauvignon e Pinot Noir e o primeiro resultado foi lançado no fim de 2014 (com safra 2011): um Cabernet Sauvignon (30 Euros), um Pinot Noir (25 Euros) e um rosé feito a partir de uvas Cabernet de 2012, todos chamados LQLC, as iniciais da propriedade e da cidade (veja abaixo).

A produção é pequena, mas o projeto é aumentar a área de vinha e a produção (atualmente de 10 mil garrafas), plantando também uvas Carménère. Em Portugal a paixão de Malkovich é pela gastronomia, pelos vinhos e pela qualidade de vida: é sócio de amigos portugueses no restaurante Bica do Sapato e do Lux, um bar-discoteca, ambos em Lisboa. E sempre que pode está no país trabalhando com diretores e atores portugueses ou participando de eventos. A foto abaixo de Herb Ritts eternizou Jack Nicholson como Coringa, em Londres,  1988 – e agora tem sua versão Malkovich.

Mas agora é que vem o melhor – ou o mais inusitado, meu caro leitor. Sandro Miller, um fotógrafo norte-americano propôs a Malkovich uma tarefa inesperada mesmo para um ator criativo como ele: recriar algumas das fotos mais famosas do mundo de personalidades como Einstein, Lennon, Marilyn Monroe, Picasso, Wahrol, Che Guevara e outros. Malkovich adorou a idéia e trabalharam por cinco meses refazendo as 30 fotos da série, com tal dedicação que em muitas fotos Malkovich mesmo preparou seu make-up; e para recriar as fotos de Pablo Picasso e Salvador Dalí ele mesmo fez os narizes de cera.

A série, que ganhou o nome “Malkovich, Malkovich, Malkovich: Homage to Photographic Masters”, ficou magnífica e só pode ser vista em museus e galerias dos Estados Unidos. Ou aqui no In Vino Viajas, por supuesto. Veja a seguir algumas das fotos com os nomes dos fotógrafos originais, o titulo e a data, e a recriação de Malkovich. Um show de transfiguração e atuação!

Alberton Korda  – Che Guevara (1960)
Andy Warhol  – Self Portrait with Fright Wig (1986)
Art Shay – Simone de Beauvoir (1950)
Arthur Sasse – Albert Einstein Sticking Out His Tongue (1951)
Philippe Halsman – Salvador Dalí (1954)

                                                Andy Warhol _ Green Marilyn (1962)

Annie Leibovitz  – John Lennon and Yoko Ono (1980)

Veja mais fotos e o projeto Malkovich Sessions no site do fotógrafo Sandro Miller: http://www.sandrofilm.com/main/index.php

(*) Rogerio Ruschel é jornalista baseado em São Paulo, Brasil, e admira o talento de Malkovich e Miller

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *