Alienígenas e nosso vinho: o caso de Chateauneuf-du-Pape que proibiu discos voadores de pousar nos vinhedos

Tempo de leitura: 7 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu prezado leitor, se você que está lendo isto for terráqueo, precisa saber que não há nenhuma comprovação científica do que vou escrever aqui. Mas se você for de outro planeta, então se prepare porque, baseado em muitas pistas e suposições, em um furo de reportagem In Vino Viajas vai revelar a relação entre seus parentes alienígenas e o vinho, este delicioso recurso natural de nosso querido planeta Terra. Como eu tenho certeza de que alienigenas já estiveram no planeta Terra e que continuam nos visitando, estou  à vontade para abordar este assunto tão delicado de relações internacionais – ou interplanetárias.

Todas as grandes culturas e religiões registram a vinda de deuses do céu em carruagens de fogo e fumaça, com cajados soltando raios energéticos, como Thor e Zeus (foto acima) nas mitologias grego e romana. Estes deuses chegaram aqui e logo se amaziaram com terráqueas atraentes, produzindo filhos que geraram uma nova estirpe de seres humanos, o Homem 2.0 – que somos nós. Pois a minha suspeita é que eles vinham aqui não só por causa das mulheres, mas também por causa de um recurso natural que utilizavam para embalar as festas de sábado à noite com nossas terráqueas: o bom e velho vinho da Terra. 

Para comprovar veja essa história que aconteceu em uma das mais respeitadas regiões produtoras de vinhos do mundo: Chateauneuf-du-Pape – na foto acima. No final de 1954, no auge da Guerra Fria, relatos de avistamentos de OVNIs começaram a se espalhar por toda a França. O objeto mais comum visto nos céus era de um OVNI em forma de charuto, chamado de “Cigare Volant” pelos franceses (“Charuto Voador” em tradução livre). E saiba que até hoje muitos suspeitam que esta antena da foto abaixo, feita por terráqueos, na verdade está alinhada com uma galáxia muito distante que só a Nasa sabe onde fica…

Pois um dia o prefeito relatou o pouso de OVNIs em seu vinhedo, o que deixou os moradores apavorados – não com abduções, mas com possiveis danos em seus vinhos. Por causa disso o Conselho da Cidade de Chateauneuf-du-Pape criou uma lei proibindo o pouso de discos voadores (“de qualquer nacionalidade”) em seus vinhedos; e se qualquer objeto voador caisse em um território sagrado de vinícola seria preso e levado imediatamente para averiguações. Acredite, caro leitor, é verdade!

A noticia foi assim divulgada pelo jornal New York Times alguns dias depois: “PARIS: A spate of reports of extraterrestrial visitors to France, coming from regions where the wine is more noted for its strength than its vintage, spread yesterday [Sept. 14] with the speed of a space-cadet. Marius Dewilde, a metal worker who lives at Quarouble (Department of the Nord), made known yesterday that he had seen what seemed to be two Martian visitors at his garden gate last Friday night. They alighted from a cigar-like machine which came to rest on the railway just outside his domicile. M. Dewilde described the visitors as of small stature, clad in something resembling a deep-sea diver’s costume. They had the appearance of human beings, M. Dewilde continued, but when he approached them the machine in which they had arrived set forth with a green beam of light which paralyzed him. When he recovered his sensibilities the cigar was taking off and the two beings had disappeared. The authorities have since noted unusual marks on the cross ties of the railway as though they had been made by the tail skid of some flying machine.” Nas fotos abaixo o trabalhador francês Marius Dewilde mostrando onde o disco voador estava pousado em uma foto de u m jornal francês regional e uma montagem fotográfica da nave espacial sobre um vinhedo local.

A lei do Charuto Voador existe até hoje e inspirado nessa história, em 1984 a Vinícola Bonny Doon, da Califórnia, lançou seu vinho que usa as uvas tradicionais de Chateauneuf-du-Pape (36% Syrah, 25% Grenache, 19% Cinsault e 20% Mourvèdre), um grande sucesso, pelo menos no planeta Terra. Veja as imagens acima e abaixo.

Mesmo assim continua duvidando? Não vou nem falar em pirâmides egipcias e templos maias alinhados com Órion ou palácios de culturas orientais com pedras cortadas a laser e levitadas com raios esotéricos. Vou falar da antiga cidade de Denrinkuyu em um dos complexos de cavernas da Capadocia, na Turquia, uma cidade subterrânea com vários andares que teria sido feita com a ajuda de engenheiros extraterrestres.

Tombada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, a cidade tem 11 andares (veja o mapa, acima), grande o bastante para abrigar milhares de pessoas, suprimentos e comida. E atenção para o detalhe: na cidade foram encontradas estruturas para se fazer vinho e extrair óleo, além de celeiros, armazéns, refeitórios e capelas. Quer dizer, era uma cidade escondida de olhares não desejados para extra-terrestres poderem morar (e se embebedar) com suas centenas de amantes terráqueas… Sinceramente, olhando as fotos abaixo não lembram uma cave?

 E tem mais: desde a publicação do livro “Eram os Deuses Astronautas?” de Erich von Däniken, muitos suspeitam que deuses, anjos e religiosos e até mesmo Jesus Cristo, sejam alienígenas, mas as religiões não aceitam isso formalmente. O bispo da Igreja Católica Apostólica Brasileira Dom Fernando Pugliese é uma exceção: ele acha que os anjos e arcanjos, assim como Jesus Cristo, têm origem alienígena (foto abaixo).

Segundo o bispo, as referências à vida extraterrestre estão no Antigo e no Novo Testamento, como nas passagens sobre o carro de fogo que levou o profeta Elias para o céu, as visões de Deus do profeta Ezequiel, a arca utilizada por Noé durante o dilúvio, Maria que teve um filho com um anjo porque permaneceu virgem e dezenas de outras. Mas o mais importante: o alienígena Jesus Cristo costumava milagres muito interessantes como curar doentes, multiplicar pães e peixes e rescussitar – mas gostava mesmo era de transformar água em vinho!

Mas tem muita gente que está se preparando para uma invasão mais forte de alienigenas. Roy Lohr, de 69 anos, um artista da cidade de Truth or Consequences (sim, este é o nome mesmo) no estado do Novo México, Estados Unidos, já construiu mais de 70% de uma nave espacial que ele vai usar para poder se conectar aos parentes alienígenas dele em breve. Mas veja o detalhe: a nave está sendo construida desde os anos 70 com garrafas de vinho – veja as fotos acima e abaixo. Acho que o tal artista já está viajando há muito tempo

E para encerrar: em novembro de 2010 um restaurante no litoral do Ceará, no nordeste do Brasil, foi fechado por autoridades porque estava vendendo pratos feitos com animais vitimas de Chupa-Cabras. Como se sabe, o Chupa-Cabras é um tipo de alienígena que prefere comer animais em vez de transar com mulheres – temos que respeitar o gosto de cada um, não? O prato, muito apreciado por turistas, era feito com vinho a partir de uma receita portuguesa famosa conhecida como Chanfana de Cabra. Segundo o dono do restaurante, a gastronomia era feita à base de carne de cabra e muito vinho porque, além de muito saboroso, amaciava a carne e era uma homenagem ao Chupa-Cabras “que gosta de vinho”… Na foto abaixo um chupa-cabras surpreendido na Venezuela quando tentava roubar uma garrafa de vinho de um sommelier.

Conheça o museu arte com alienígenas de Gruyère, Suiça – http://www.invinoviajas.com/2013/02/gruyere-queijos-um-vilarejo-encantado-e/
(*) Rogerio Ruschel é editor de In Vino Viajas, nunca foi abduzido e mesmo assim tenta manter o bom humor…
 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *