In Vino Viajas, três anos de evolução: o mais internacional blog de cultura de vinho e enoturismo da America Latina, com leitores em 121 países

Tempo de leitura: 4 minutos

 

Por Rogerio Ruschel (*)
Estimado leitor ou leitora: estamos de aniversário aqui no “In Vino Viajas”. Não publico posts (aquelas notinhas curtas) e sim reportagens jornalísticas. Minha primeira matéria foi publicada dia 29 de maio de 2012, e agora, três anos depois, estou publicando a de número 302. Quando comemorei 2 anos fiz uma homenagem a um leitor de Surgut, da província de Khanty-Mansly, da Sibéria, Rússia, porque era meu leitor mais longínquo e isolado; repito agora a homenagem porque ele continua sendo – veja abaixo.

 

Nestes três anos contei 301 histórias relacionadas à cultura do vinho, vinho, enoturismo e turismo de qualidade. Pesquiso no mundo inteiro, entrevisto profissionais, dirigentes, lideranças e escrevo sobre vinhedos, vinhos, queijos, azeite de oliva, frios, temperos e produtos alimentícios típicos. Escrevo sobre as belezas do Brasil e fico muito feliz quando vejo que pessoas do mundo inteiro gostam de nosso país – como, por exemplo, ver um leitor do Uzbequistão, na Ásia Central, lendo sobre o Mercado Ver-o-Peso, de Belém do Pará (abaixo).

 

Escrevo sobre patrimônio histórico rural e urbano, parques, jardins, estátuas, museus e eventos culturais que animam as pequenas comunidades ou agitam as grandes cidades, porque sei que isso tem valor para quem se ama e ama seu país. Como os tchecos, turcos, norte-americanos, italianos e outros cidadãos que estavam acessando “In Vino Viajas” ao mesmo tempo como mostra a imagem abaixo.

 

Não sei se tenho leitores fora do planeta Terra, mas uma reportagem publicada em março de 2015 sobre alienígenas e sua relação com o vinho, destacando a história verídica de que em 1954 a prefeitura de Chateauneuf-du-Pape publicou uma lei proibindo discos voadores de pousarem nos vinhedos, fez um grande sucesso!

 

Escrevo (muito) sobre meio ambiente, impactos ambientais e sobre produtos mais sustentáveis, especialmente vinhos biológicos, orgânicos, biodinâmicos e naturais e vejo que a cada dia mais leitores querem se informar mais sobre esse assunto. Como gosto muito desse tema, em novembro de 2014 fui convidado a fazer uma palestra sobre vinhos mais sustentáveis em um curso sobre Microvinhas realizado pelas Universidades de Alicante e Valência, da Espanha; minha contribuição foi feita pela internet (via Skype) como a imagem abaixo mostra.

 

Escrevo sobre arquitetura de vinícolas, bares e lojas de vinhos interessantes ou curiosas; sobre novidades de enologia e viticultura e sobre marketing para compartilhar boas ideias entre meus leitores que produzem, distribuem ou vendem vinhos. Acho que este é um dos papeis do In Vino Viajas: compartilhar ideias e iniciativas bem sucedidas para uma comunidade de pessoas dedicadas a um ofício difícil e que vivem em um ambiente cada vez mais competitivo. Um bom exemplo é a entrevista exclusiva que fiz com o arquiteto espanhol J. Marino Pascual que continua a receber acessos todos os dias, porque seu trabalho associa cultura, talento e beleza à atividade de produção de vinhos. 

 

In Vino Viajas ainda não me dá retorno financeiro, mas todos os dias ganho outra coisa importantíssima: o carinho dos leitores. Nestes três anos tive a honra de merecer a atenção de muitas pessoas que, como eu, gostam de coisas bonitas, com qualidade com conteúdo e que ajudem na melhorar a tal qualidade de vida. Como o esloveno que acessou o blog para ler sobre o chef Adrian Ferrá, abaixo.
Nossos leitores estão em 121 países. Sei disso porque In Vino Viajas utiliza o software “Feedjit-Live Traffic Feed” que faz uma geo-referencia do computador que acessa a internet identificando seu IP, sua identidade geográfica. Essa identificação por IP permite que o leitor possa ver, a qualquer momento do lado direito da página home, os acessos online e comprovar que de fato somos o blog de cultura do vinho mais internacional da America Latina. E permite também que eu, como editor, saiba onde In Vino Viajas tem maior penetração geográfica. E contar para você: Portugal (com 347 IPs), França (343), Itália (314), Estados Unidos (275), Espanha (270), Alemanha (252), Suiça (82), Inglaterra (65), Argentina (54), Holanda (50), Canadá e Mexico (51), República Tcheca (47) e Austrália (35) são os países com leitores de In Vino Viajas em mais endereços de IPs, depois do Brasil. Esta universalidade pode ser vista na imagem abaixo. 

 

Pois é, In Vino Viajas é um contador de histórias, um story-telling, que tem conquistado o carinho de milhares de leitores, no mundo inteiro. Talvez porque eu escreva o que gostaria de ler; porque respeito o leitor e ofereço para ele não a descrição do rótulo de um vinho com maior ou menor pontuação, mas sim uma história humana que informa, educa, diverte e sensibiliza pessoas, criando pequenos momentos de alegria num dia agitado – algo assim como uma taça de vinho compartilhada com amigos. Meu prezado leitor, saúde!
(*) Rogerio Ruschel é editor de In Vino Viajas há três anos e pretende continuar sendo pelo menos pelos próximos três.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *