Inesperado: conheça os mini-vinhedos urbanos comerciais de Los Angeles e Nova Iorque que fizeram história

Tempo de leitura: 4 minutos

 

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu prezado leitor ou leitora, você sabia que em alguns grandes centros urbanos do mundo é possível encontrar pequenos vinhedos comerciais? Pois é, eles existem. Mas o cultivo de uvas em um ambiente urbano amplia os desafios normais de cuidar de um vinhedo: o ambiente é poluído, existem limitações do uso de água, o metro quadrado de área é muito caro e você pode ter vizinhos produzindo coisas químicas em cima de suas uvas. Mas mesmo assim tem muita gente produzindo vinhos urbanóides para vender. Já mostrei aqui o minúsculo e maravilhoso Clos de Montmartre, de Paris e o vinhedo comunitário com cara hippie dos anos 60 de São Francisco e agora você vai conhecer a experiência de mini-vinhedos comerciais de duas grandes cidades dos Estados Unidos que não resistiram comercialmente mas que fizeram história: Los Angeles (foto acima e abaixo) e Nova Iorque.

 

 

D’Augustines Vineyard, Los Angeles, Califórnia
O ano de 2010 marcou a primeira safra comercial da D’Augustines Vineyards, no bairro Echo Park de Los Angeles, que entre 2006 e 2007 funcionou como uma micro-vinha não comercial que produzia vinhos apenas para os amigos. Neste ano de 1010 os proprietários Joe e Heather D’Augustines fizeram uma colheita muito boa de uvas Syrah e a vinificaram no quintal, comercializando a pequena produção obtida nas redondezas. Vizinhos e amigos vieram ajudar na colheita que foi realizada num domingo e foram pagos em pizza que foi preparada no forno externo da D’Augustines – veja na foto abaixo.

 

Apesar da primeira safra ter sido razoavelmente bem sucedida, o racionamento de água e as ameaças permanentes de incêndios na região fizeram com que o primeiro fosse também o último ano em termos de produção comercial da D’Augustines Vineyards. Uvas ainda são cultivadas no Echo Park e em torno de Los Angeles, mas os vinhos são para consumo próprio, porque não é possível assumir compromissos comerciais quando não se sabe se vai ser possível produzir comercialmente.

 

Hoje em dia o estoque remanescente à venda está  divulgado no site: “Nosso estoque disponível é de 6 Gallons de 2009 Syrah Red; 84 Bottles de 2008 Syrah Red; 8 Bottles de 2008 Syrah Rosé (acima); 18 Bottles de Sparkling Lemon Zante e 5 Gallons de Spiced Apple wine.” Quer provar? Acesse http://www.daugustinevineyard.com/index.html
Queens County Farm Museum Winery, Queens, Nova Iorque

 

A Fazenda do Município de Queens (Queens County Farm) é um projeto de agrobusiness produtivo e educacional, ocupa uma área de 47 hectares no bairro de Queens e é a maior área rural continuamente cultivada do estado de Nova Iorque – e isso desde 1697! A fazenda inclui edifícios históricos de exploração agrícola (muitos em uso para a guarda de veículos e implementos agrícolas e outros que já viraram museu), um complexo de estufas para produção de frutas e ervas e produz regularmente ovos e carne de gado – tudo o mais ecologicamente correto possivel. Além disso realiza eventos promocionais de todos os tipos e programas de educação ambiental e educação rural para crianças e adultos.

 

Pois em 2010, a Queens County Farm se tornou a única vinícola comercial do município e do estado de Nova York, quando apresentou a primeira safra de três vinhos com 1.000 pés de uvas Chardonnay, Merlot e Cabernet plantadas em uma área de 1,5 hectares, em 2004. Os rótulos de maior sucesso foram o Queens County Farm Musem Merlot 2007 (foto abaixo) e o Adriance 2006, um corte das três uvas. Adriance é o sobrenome da familia que foi proprietária da fazenda entre 1697 e 1808.

 

A produção foi leiloada e o pequeno sucesso foi repetido nos quatro anos seguintes, mas por causa de dificuldades de manutenção, a operação de vinificação foi encerrada em 2014. Mas fez história e poderá retomar a produção no futuro, por isso é bom conhecê-la. O lançamento da primeira safra foi uma grande festa, divulgada pelo Wall Street Journal como “900 caixas de vinhos que se não são de um novo Napa Valley, pelo menos são os únicos de Nova Iorque.” Os responsáveis pelo lançamento foram Gary Mitchell e Amy Fischetti, na foto abaixo, no pequeno vinhedo.

 

Já o blogueiro especializado Carlo de Vito avaliou assim o lançamento do Merlot: “Um clássico estilo Long Island Merlot, com tons de cereja escuro e sabor de framboesas maduras, com um toque de baunilha. Um excelente equilíbrio de frutas, ácidos e taninos .” Quem comprou e guardou uma garrafa pode conferir. Quem não comprou, well, quem sabe os vinhos do Queens voltam a ser produzidos daqui a algum tempo? Para saber mais acesse http://www.queensfarm.org/

Conheça o mini-vinhedo comunitário de São Francisco: http://www.invinoviajas.com/2015/05/ajude-um-vinhedo-urbano-comunitario-em/
(*) Rogerio Ruschel edita este blog a partir de São Paulo, Brasil, uma cidade com mais de 12 milhões de habitantes e nenhum mini-vinhedo comercial produzindo – pelo menos por enquanto…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *