Conheça o Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima, no Caminho Português de Santiago de Compostela, e festeje com Vinho Verde e arroz de sarrabulho

Tempo de leitura: 5 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu caro leitor ou leitora, já que estamos na primavera aqui no Brasil, sugiro um passeio muito florido em Ponte de Lima, para conhecer a 13a. edição do Concurso Inernacional de Jardins, que se estende até outubro de 2017. Ponte de Lima é uma pequena, charmosa e turística cidade na região do Minho, no Norte de Portugal, não muito longe da fronteira com a Espanha, e é conhecida por dois “sobrenomes”: é considerada a capital portuguesa dos jardins e também é denominada de Capital do Loureiro, uma das uvas com as quais são feitos os exclusivos e badalados Vinhos Verdes portugueses que se harmonizam com a culinária local como com o arroz de sarrabulho, a lampreia a bordaleza,  a perna de porco a beloura ou o bacalhau de cebolada.  

Ponte de Lima fica no roteiro do Caminho Português para Santiago de Compostela, e a chegada na cidade emociona peregrinos há centenas de anos, especialmente quando entram cansados na cidade pela Avenida dos Plátanos, junto ao rio (foto abaixo), num momento mágico como no crepúsculo.

Ponte de Lima aparece em registros históricos há mais de 2.200 anos: desde a primeira referência, feita pelo historiador romando Tito Livio no ano 6 DC, atravessia do rio Lima foi um tema muito abordado por escritores gregos e romanos por causa da importância estratégica e militar do rio e da região. A primeira ponte (da qual resta um trecho original), foi construída no final do século 1 AC por Octávio César Augusto, e no início do século XII já existia ali uma povoação que era utilizada para defender as fronteiras do império romano.

 

No ano 1.125 o vilarejo ganhou permissão de D. Afonso Henriques para organizar uma feira de produtos locais  – e até hoje a feira é montada quinzenalmente na margem esquerda do rio. A ponte é considerada a mais bem conservada ponte medieval de Portugal e tem muitas histórias curiosas que vou revelar aqui no In VIno Viajas em outra oportunidade.

A comunidade é apaixonada por jardins. As ruas entremeadas de lojinhas, cafés e restaurantes; as margens do limpo e bonito rio Lima; as casas, ruínas de antigas fortalezas, os espaços públicos e as escolas – toda a região faz parte de imenso jardim de fama internacional. A cidade já venceu tres vezes o Concurso Nacional de Vilas e Cidades Floridas (de âmbito português) e foi segundo e terceiro lugar em edições do Concurso de Vilas e Cidades Mais Floridas da Europa. Além disso foi  vencedora do prêmio Garden Tourism Awards dentro do Festival Internacional de Jardins realizado em Toronto, Canadá, em 2013. Ponte de Lima também faz parte da Rede Europeia de Festivais Internacionais de Jardins.

Aproveitando esta vocação histórica e o fato de  estar situada num belo vale verdejante (que acabou denominando o tipo de vinho “verde”), a cidade aposta no turismo: o povo é educado, tem uma excelente gastronomia, os famosos vinhos verdes, lagoas atraentes, feiras turísticas e de negócios, o maior Museu do Brinquedo de Portugal (que In Vino Viajas já apresentou aqui), vários outros museus e uma história que remonta aos romanos. Mas além de tudo isso, Ponte de Lima é conhecida no mundo inteiro por ser a realizadora do Festival Internacional de Jardins.

O Festival Internacional de Jardins é realizado desde 2005, é o único de Portugal e um dos mais importantes do mundo. Funciona assim: entre os meses de maio e outubro, 12 jardins temáticos são montados e ficam expostos dentro de um parque de 2,5 hectares da cidade (foto abaixo).

Cerca de até 80 concorrentes do mundo inteiro inscrevem projetos e 11 deles são selecionados por uma comissão da prefeitura para terem seus projetos montados. Os visitantes – que foram 120 mil em 2014 – passeiam pelos jardins e votam no que mais gostaram; o mais votado permanecerá na próxima edição do concurso e os outros 11 serão desmontados e montados em outras áreas da cidade.

Os jardins são criados a partir de uma temática definida a cada ano. Como exemplos, o tema da 3ª edição foi “O Lixo na Arte dos Jardins” e outros foram “A Floresta no Jardim” (em 2011), “Jardins para comer” (em 2012) e “Jardim dos Sentidos” (em 2013).

Em 2014 – o ano da comemoração dos 10 anos do Festival – o tema foi “Jardins em Festa” e neste ano de 2015 o tema foi  “Água no Jardim” – veja abaixo a água na forma da molécula de H2O ou pequenos lagos. As fotos que ilustram esta reportagem são do parque permanente e de alguns dos 12 jardins da edição 2015.

Quem quiser visitar os jardins do Festival Internacional de Jardins edição 2017 tem até o dia 31 de outubro, data em que serão desmontados, mas os demais jardins permanecem – com clima de outono e na sequência, inverno. Mas Ponte de Lima tem muitas outras atrações para turistas que apreciam qualidade como você, registradas nas pedras, construções, prédios e na alma dos moradores. Ah, sim, tem também lojinhas com artigos muito interessantes. Pode-se chegar de carro (melhor) ou de avião a Ponte de Lima – e nesse caso fica a cidade 45 minutos tanto dos aeroportos da cidade do Porto (Portugal) como da cidade litorânea de Vigo (Espanha).

Você cria jardins e quer reconhecimento mundial? Para os que estiverem interessados em se candidatar, o prazo de inscrições da 14. edição é 15 de novembro de 2018, o tema do concurso será “Jardins da Descoberta” e informações sobre como participar podem ser encontradas no site www.festivaldejardins.cm-pontedelima.pt

Conheça o Museu dos Brinquedos de Ponte de Lima em http://www.invinoviajas.com/2015/07/os-barulhos-da-infancia-meus-carrinhos/
(*) Rogerio Ruschel é editor de In Vino Viajas e quando esteve em Ponte de Lima fez questão de tirar uma foto ao lado desta estátua de figuras típicas da região (acima), que fica na margem do rio Lima. Fotos de Rogerio Ruschel; duas de Amandio Souza Vieira e F. Piqueiro (divulgação). Agradeço o apoio de Sandra Rodrigues, responsável pelos museus de Ponte de Lima. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *