Conheça Dark Sky Alqueva, o primeiro sitio certificado de turismo astronômico do mundo, nos campos do Alentejo, Portugal, em 15 fotos de Manuel Claro

Tempo de leitura: 6 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu querido leitor ou leitora, fui assistir ao novo filme da série Star Wars e me lembrei com saudade da Rota Dark Sky Alqueva, do Alentejo, Portugal, o primeiro sitio de turismo astronômico do planeta Terra certificado como “Starlight Tourism Destination”, que conheci em outubro de 2015.

Pode ser que em outros planetas existam sitios certificados para turismo interplanetário e que ETs estejam nos admirando de longe, mas este do Alentejo é seguramente a melhor demonstração do lado luminoso, o lado Bom da Força aqui na Terra. E a Força aqui, meu caro leitor ou leitora, vem das belezas e delícias das terras do Alentejo, da Reserva Dark Sky Alqueva!

A Reserva Dark Sky Alqueva (essa beleza da foto acima) é uma região do Alentejo com cerca de 3.000 Km quadrados que inclui áreas dos municípios de Portel, Reguengos de Monsaraz, Alandroal, Mourão, Moura e Barrancos, que foi certificada pela Fundação Starlight como a primeira Reserva do Mundo a obter a Certificação “Starlight Tourism Destination” e reconhecida pela Unesco e pela Organização Mundial do Turismo – os organismos da ONU dedicados a cultura e ao turismo. 

Acima uma foto da Via Lactea feita da Reserva por Manuel Claro, o autor das fotos desta reportagem, publicada pela revista National Geographic Portugal. A Reserva é um projeto desenvolvido por várias instituições portuguesas de turismo, desenvolvimento regional e meio ambiente, e dentro dela foi criada a Rota Dark Sky Alqueva, que opera os serviços aqui apresentados. 

Eu não ficarei espantado se dentro de alguns anos o céu do Algarve também seja reconhecido como mais um Patrimônio Mundial da Humanidade de Portugal pela Unesco, porque é um dos céus mais claros e limpos do mundo; o Deserto do Atacama, no Chile, e o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, no Brasil, também são locais com céus muito limpos. Na foto abaixo uma foto genial de Manuel Claro de dentro do Dolmen Olival da Pega, no Alentejo.

Mas o Alentejo é o campeão e há muito tempo: a região vem atraindo moradores há mais de 7.000 anos e no Alentejo estão imensos monumentos megalíticos (foto abaixo, menires com estrelas); muitos deles mostram que o Homem do Neolítico já dava imensa importância ao céu, considerando-o como parte da paisagem, estudando-o com interesse e o relacionando com a diversidade dos movimentos celestes.

Acredita-se por isso que muitos dos monumentos megalíticos da região (e são centenas) simbolizam a importância do Sol e da Lua em momentos significativos dos ciclos da natureza, assim como a relação dos astros com a vida do Homem.

O sitio tem telescópios e binóculos para que o turista pesquise, identifique e acompanhe seus astros prediletos ou, com a ajuda de guias altamente capacitados, aprenda a observar estrelas. Com a ajuda certa você pode admirar o centro da Via Láctea, a Ursa Maior e a Ursa Menor ou pesquisar seu planeta predileto; eu por exemplo, pedi ao guia que me levasse até o planetinha mais ocidental do Cinturão de Órion, porque tenho amigos alienígenas que são de lá…

Embora telescópios já estejam disponíveis para os turistas, no local está sendo construído um enorme centro de recepção aos visitantes, que terá mais equipamentos sofisticados, um centro de informação, salas de aula, cafeteria, museu, lojinha e outros serviços. Será um prédio com arquitetura arrojada e desenhada para isso.

Mas desde agora o turista já vai encontrar também outros serviços associados, porque a Rota Dark Sky Alqueva tem convênios com hotéis que oferecem serviços especializados como refeições tarde da noite; entre eles estão o Hotel Refúgio da Vila e as Casas do Montado em Portel, o Hotel Nave Terras em Juromenha, a Casa Saramago, o Monte de Santa Catarina e o Monte Alerta, todos na aldeia do Telheiro, concelho de Reguengos de Monsaraz. Na foto abaixo vinhedos do Alentejo dormem sob a luz de estrelas e satélites que orbitam a terra; o risco foi feito pelo deslocamento da Estação Orbital Internacional.

Além de serviços de hospedagem, restaurantes participantes da Rota oferecem cardápios típicos, especialmente em eventos, entre os quais pratos desenvolvidos pelo Chef António Nobre como lua de queijo derretida com ervas aromáticas, lua cheia de migas de tomate com gambas admirando o céu, meteoritos de porco preto, cometas de borrego ou universos de prazer. Imagine-se com um quitute destes, uma garrafa de vinho alentejano e uma boa companhia nesta varanda da foto abaixo…

Além da hospedagem e da alimentação, a Rota certificou empresas que oferecem também atividades de animação turística como observação da avifauna dia e noite, passeios noturnos a cavalo, canoagem noturna no rio Ardila ou no Lago do Alqueva – o maior lago artificial da Europa, onde também é possível alugar barcos para belos passeios, inclusive com cozinha e camas para várias pessoas – e workshops de fotografia com Manuel Claro, um dos gestores da Reserva e autor das sensacionais fotos desta reportagem. Nas fotos abaixo um auto-retrato de Manuel Claro com Jupiter no céu e Lisboa, uns 80 Kms, ao fundo e alunos se preparando para um workshop de astro-fotografia.

Quando estive ne região não pude conhecer pessoalmente Apolónia Rodrigues, presidente da Genuineland e gestora da Rota Dark Sky Alqueva, mas ela me garantiu que até o fim de 2016 o prédio principal estará terminado e então os visitantes serão recebidos com um padrão turístico de qualidade entre os melhores do mundo, o que vai agregar ainda mais valor a qualquer roteiro com passagem pelo Alentejo. E para os que gostam de vinho com identidade e gastronomia com qualidade, esta região central de Portugal, que é considerada o celeiro agrícola do pais e que já é mundialmente respeitada por suas belezas e delícias, não vai dever absolutamente nada a outras regiões de enoturismo como Bordeuax e Toscana. Aliás, entre outros títulos, o Alentejo foi eleito pelos leitores do jornal norte-americano USA Today em 2014 como “a melhor região vinícola do mundo para visitar”.

A Reserva Dark Sky Alqueva integra-se a uma série de atrações que inclui Reguengos de Monsaraz – a Cidade Européia do Vinho 2015 e vinícolas como a Herdade do Esporão, a Carmim e a Monte dos Perdigões; o Castelo de Monsaraz; duas cidades tombadas como Patrimônio da Humanidade, Évora e Elvas; e outra atração turística tombada como Patrimonio da Humanidade pela Unesco e por mim, o Cante Alentejano. Mas isto tudo ficará para outra reportagem, porque o Alentejo foi feito para ser degustado.

Para saber mais sobre a Reserva Dark Sky Alqueva acesse aqui: https://www.facebook.com/Alqueva/?fref=ts
(*) Rogerio Ruschel é editor de In Vino Viajas a partir de São Paulo, Brasil, e é um apaixonado pelo Alentejo. As fotos são de Manuel Claro, astro-fotógrado português premiado, autor de vários livros como o “Dark Sky Alqueva” e um dos gestores da Rota Dark Sky Alqueva.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *