Conheça Cartaxo, a Terra do Vinho e da Uva, do mais Antigo Museu do Vinho de Portugal, da Festa do Vinho de Maio e Sede da AMPV

Tempo de leitura: 4 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu prezado amigo ou amiga, cartaxo é o nome de um pássaro em Portugal. Mas é também uma cidade, uma bela cidade portuguesa no Distrito de Santarém, cerca de 70 quilometros de Lisboa, que vem arrancando elogios de visitantes ilustres há séculos: Gil Vicente, o primeiro grande dramaturgo portugues em 1530 dizia que Cartaxo era uma das povoações mais bonitas de Portugal e Almeida Garrett, o impulsionador do teatro no país, também era fã da região, já nos anos 1840. Na foto abaixo o Mercado municipal.

Pela vizinhança com Santarém, Cartaxo (foto aérea, abaixo) certamente tem raizes bem antigas. A historia registra que o nome Cartaxo foi dado pela Rainha Santa Isabel, mulher do rei Dom Dinis. Aliás, Dom Dinis em 1.320 criou uma política pública que podíamos copiar no Brasil, 700 anos depois: ele isentou os agricultores de impostos por cinco anos se plantassem uvas para a produção de vinho!

Indo a Cartaxo aproveite para visitar Santarém, a capital do gótico português, cidade cuja fundação data de cerca de 800 anos AC e é citada nas mitologias greco-romana e cristã – veja abaixo foto da Igreja do Seminário de Santarém.

Cerca de 65% do território de Cartaxo é ocupado pela agricultura – especialmente pela vitivinicultura, realizada na região desde o século X com uvas tintas e brancas, atualmente uma sub-região com a DOC Ribatejo. A uva está até mesmo no brazão da cidade (veja abaixo) e a Adega Cooperativa do Cartaxo, com uma área de cerca de 1.000 hectares, na qual produz cerca de 7 milhões litros de vinho por ano, é a mais conhecida produtora da região – veja seus vinhos na foto abaixo.

 

Cartaxo é a sede da AMPV – a Associação que congrega cerca de 60 dos Municipios Portugueses do Vinho: em Cartaxo estão o presidente, Pedro Magalhães Ribeiro, também prefeito de Cartaxo e o secretário geral, José Arruda.

 

Lá está também o Museu Rural e do Vinho do Cartaxo, criado em 1984, o mais antigo museu sobre a temática do vinho e do mundo rural existente em Portugal. Ele fica na Quinta das Pratas, com cerca de 20 ha que recriam uma propriedade agrícola portuguesa do século XX, com adega restaurada e uma taberna, um espaço de convívio no meio rural – veja as fotos abaixo.

Cartaxo está na Rota dos Vinhos do Tejo (DOC Ribatejo) e tem várias festas ligadas a agricultura e ao vinho, além de participar ativamente do Dia do Enoturismo, em novembro, como mostra o cartaz abaixo.

Desde 1988 a cidade realiza uma conhecida Festa do Vinho, no começo de maio, evento que em 2015 reuniu cerca de 50 expositores e incluiu apresentação de novos vinhos, provas guiadas, seminário técnico, concursos, música, danças e gastronomia da melhor qualidade que ajudam a promover a fama da “Capital do Vinho”, uma mobilização criada pela Câmara Municipal em 2002 para dinamizar a atividade vinícola no municipio.

Outras duas festas ligadas ao vinho animam o calendário cultural de Cartaxo: a Festa das Vindimas e a Festa dos Fazendeiros. A Festa das Vindimas é realizada há mais de três décadas no mes de outubro em Vila Chã de Ourique, e um dos pontos altos é o Cortejo das Vindimas que sai às ruas mostrando as principais tarefas rurais montadas em carros alegóricos – como o alegre cidadão da foto abaixo.

De dois em dois anos, desde 1956, se realiza a Festa dos Fazendeiros no Domingo de Pascoela, um dos eventos mais típicos da freguesia de Pontével e do concelho (município) do Cartaxo. É uma festa popular na qual se apresentam tradições rurais e agrícolas, através do cortejo de carros alegóricos e da decoração de janelas e fachadas das casas da vila.

Estando em Cartaxo pense além do vinho e aproveite para conhecer o patrimônio cultural da cidade que deve incluir a Igreja Matriz de São João Batista (1522) veja foto acima e o vizinho Cruzeiro do Senhor dos Aflitos, do primeiro quartel do século XVI, tombado como Monumento Nacional e composto por uma imagem do Senhor dos Aflitos crucificado, esculpido em pedra, uma obra de grande valor artístico. Faça uma visita a Igreja de Nossa Senhora da Purificação, em Pontével, a Aldeia da Palhota, em Valada e ao Palácio dos Chavões, em Vila Chã de Ourique.

E não se esqueça de provar as delícias gastronômicas com o vinho da região, como o pão de trigo ou de milho, migas e magusto; os peixes sável, fataca e enguia além das tradicionais sardinhas assadas e do bacalhau; as carnes de porco, galinha ou coelho, toucinho e os chouriços.  Na foto acima, lombos de bacalhau com broa e chouriço, uma delicia, meu caro leitor ou leitora.

Então já sabe: boa viagem e bom apetite.

(*) Rogerio Ruschel é editor de In Vino Viajas em São Paulo, Brasil, e gostou de visitar Cartaxo e Santarém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *