Empresários do turismo do Napa Valley, Califórnia, faturaram 4,5 bilhões de Reais em 2015 com o turismo do vinho

Tempo de leitura: 4 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu caro leitor ou leitora, na Califórnia produtores de vinho, hoteleiros, restauranters, guias, lojistas, museus, gestores públicos e milhões de norte-americanos participantes dos cerca de 60 setores da cadeia produtiva do turismo comemoram o faturamento de R$ 4,5 bilhões (US $ 1,27 bilhões) deixados por turistas no Napa Valley em 2015. Enquanto isso, aqui no Brasil continuamos a ver desastres técnicos e institucionais e descaso na gestão pública do turismo.
Um exemplo disso é a Miss Bum-bum, na foto acima. Se você não mora no Brasil, vou explicar para você entender. Em maio de 2016 uma mulher invadiu o Ministério do Turismo em Brasília, para tirar fotos sensuais e depois publicá-las nas redes sociais se identificando como “a primeira-dama do turismo do Brasil”. Isto mesmo: esta mulher foi visitar seu marido, um político desconhecido que foi feito Ministro do Turismo pela presidente Dilma Roussef, que foi destituído em alguns dias mas não por causa disso, e sim porque o presidente queria colocar outro politico. Uma foto discreta da moça no Ministério, com seu vestido de apenas um botão circulou pelo mundo, para nossa vergonha; o casal ministerial está na foto acima. E na foto abaixo a “primeira-dama do turismo brasileiro” promove os atributos do turismo no Brasil em frente ao Congresso Nacional.
mulher em frebnte ao confgresso

A mulher, meu caro leitor ou leitora, se apresenta como modelo e foi Miss Bumbum Estados Unidos 2013. Isto mesmo: em inglês seria algo como “USA’s Miss Butt 2013”, em espanhol “La señorita culo del año 2013”, em francês “Miss fesses 2013”. Fazendo as fotos que você vê aqui e na internet, ela demonstrou claramente como o turismo é percebido pelo governo federal. Como nenhuma liderança empresarial ou setorial do Brasil se indignou publicamente e reclamou da presidenta ou do ministro, entendo que também para eles isso é “normal”. E o que fez o Ministro, marido da moça? Acredite: o Ministro do Turismo, repudiou a “publicação maliciosa” das fotos mas não o fato dela fazer e publicar as fotos… Coisas como essa explicam porque, apesar do enorme potencial natural, cultural e social do país, há mais de 10 anos o número de turistas estrangeiros no Brasil estacionou na faixa dos 10 milhões, inclusive com a Copa do Mundo – o que deixou até o Cristo Redentor triste no Rio de Janeiro, como mostra a foto abaixo que o surpreendeu chorando escondido…

cristo reedentor
Voltando à parte boa da informação, o que os trades de tuismo e do vinho ganharam: os visitantes de Napa Valley gastaram um recorde de R$ 4,50 bilhões (US $ 1,27 bilhões) em 2015, o que representa um aumento de 8,9 % sobre 2014 e o maior ganho percentual de todos os 58 condados da Califórnia, de acordo com um relatório oficial da Visit Califórnia apresentado dia 2 de maio. Já para toda a Califórnia, os números são ainda mais impressionantes: em 2015 o turismo movimentou 122.6 bilhões de dólares (cerca de 431 bilhões de Reais), garantiu 1.063.000 empregos e 9,9 bilhões de dólares (cerca de 31,6 bilhões de Reais) em recolhimento de taxas e impostos para o Estado da California e para os governos municipais. O turismo na California é um trem em alta velocidade rumo ao futuro, como mostra a foto abaixo…
trem (1)

O relatório, divulgado durante a National Travel and Tourism Week (1 a 7 de Maio de 2016), considera que o turismo é uma das principais fontes de oportunidades de emprego para os californianos e de receitas fiscais para os governos locais. “O turismo é uma parte significativa e crescente da economia da área da baía”, disse a Presidente e CEO da Visit Califórnia, Caroline Beteta. “Temos que celebrar as viagens nacionais e internacionais como aceleradores do desenvolvimento da região e dos Estados Unidos, e saber que é importante continuar investindo para manter o sucesso contínuo da indústria de viagens top-of-mind como fonte de benefícios para toda a comunidade.”

Calistoga

Especificamente no Napa Valley – a mais importante região vinícola dos Estados Unidos e das Américas – as despesas dos visitantes suportaram a geração de 13.680 empregos e geraram US$ 116 milhões em receitas fiscais (R$ 412 milhões) Na foto acima, Calistoga. “De acordo com o relatório, o número de postos de trabalho relacionados e apoiados pelo turismo aumentou em 3,7 por cento a partir de 2014”, acrescentou meu amigo Clay Gregory, presidente e CEO da Visit Napa Valley. “Esses números comprovam que a indústria de viagens e turismo é um motor econômico extremamente poderosa para o Napa Valley e visitar Napa Valley prosseguirá os seus esforços para segmentar nossos esforços de marketing e vendas em períodos de alta e baixa estação”.

Napa-Valley-California de balão

Só para lembrar: a Visit Califórnia é uma organização governamental, mas opera com perfil de entidade privada, cujo objetivo é desenvolver o turismo e os dirigentes são pessoas com experiência no ramo. E a Visit Napa Valley é uma organização privada, enxuta e completamente voltada para a promoção de negócios; Clay Greogory, o CEO, é um homem de marketing – que está colhendo o que está sendo plantado.

(*) Rogerio Ruschel é editor de In Vino Viajas em São Paulo, Brasil; gosta de mulheres bonitas mas não quando ridicularizam seu país.

3 Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *