Eno-Olimpíadas revelam os 30 mais bem pontuados vinhos do Brasil, vencedores entre 850 candidatos de 110 vinícolas de 8 estados

Tempo de leitura: 5 minutos

capa0
Por Rogerio Ruschel (*)

Meu prezado leitor ou leitora, a Grande Prova Vinhos do Brasil2016 vai ficar conhecida como as Eno-Olimpíadas do Brasil: dia 03 de Agosto foram divulgados os vinhos vencedores da quinta edição deste concurso, a maior de todos os tempos. Pode-se dizer que se tratam de vinhos vencedores de uma olimpíada, uma verdadeira corrida de obstáculos, porque o concurso começou no Rio de Janeiro no mes de junho e terminou no evento de entrega dos resultados no Hotel Casacurta em Garibaldi, na serra gaúcha, esta semana – veja foto abaixo. Os resultados completos serão publicados no Anuário Vinhos do Brasil 2016/2017, que será lançado no Rio de Janeiro durante as Olimpíadas e em breve estará nas bancas.

 

premio vinhos do brasil, entrega
O evento é uma realização do Grupo Bacco com a coordenação do jornalista Marcelo Copello, e foi a maior de todos os tempos já realizada no Brasil: milhares de garrafas de vinhos (vários exemplares de cada um dos 850 rótulos) foram enviadas por 110 vinícolas de oito estados brasileiros (foto abaixo). “Os jurados estrangeiros se encantaram com os sucos de uva e com os nossos espumantes Moscatel, mas a maioria dos brasileiros ainda desconhece que o Brasil tenha tanta variedade de vinhos”, disse Marcelo Copello, do Grupo BACO e presidente do júri.

logot maior

E aqui está talvez a maior novidade do concurso, depois da grande quantidade de concorrentes: a variedade de terroirs e regiões de produção que se espalham pelo país. Estima-se que cerca de 90% dos vinhos brasileiros são produzidos no Rio Grande do Sul, mas entre os 30 vencedores temos vinhos de quatro estados e alguns deles totalmente desconhecidos, de regiões como a Chapada Diamantina, a serra fluminense e a Serra da Mantiqueira.

muitas garrafas

Vinhos do sudeste do Brasil estão sendo produzidos (e também muito bem avaliados) utilizando uma tecnologia de produção denominada “poda invertida”, que consiste em alterar o ciclo da vinha para fazer a colheita no inverno. É assim: no verão brasileiro, em janeiro, quando as vinícolas do Sul colhem suas uvas, no Sudeste, poda-se a planta; e em julho, no inverno, colhe-se a uva quando é seco, as noites são frias e as uvas estão maduras. Segundo o introdutor da técnica no Brasil e coordenador técnico da Epamig, Murillo de Albuquerque Regina (na foto abaixo do Paladar, jornal O Estado de São Paulo), “Não precisamos corrigir o vinho, temos 14%, 15% de álcool que não pesam porque temos acidez. Sem chuvas, não há diluição. As noites frescas trazem a boa acidez e nos dão vinhos equilibrados que podem envelhecer”. Murillo Regina tem mestrado e doutorado em viticultura e enologia em Bordeaux e um pós-doutorado sobre melhoramento da viticultura no Entav, do Instituto do Vinho e da Vinha da França. De lá trouxe para o Brasil a técnica da poda invertida para o Sudeste, no ano 2000, que agora comeca a recolher os frutos.

Murillo

Os resultados completos serão divulgados pelo Anuário Vinhos do Brasil 2016/2017, a “bilbia”do vinho brasileiro que tem o apoio do Ibravin – Instituto Brasileiro do Vinho. Neste ano foram 28 categorias, com 30 campeões (ocorreram três empates) e uma categoria, importante para nossos produtores, a de Suco de Uva integral. Seguindo normas da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), o número de medalhas foi limitado a 30%. No total, foram cinco medalhas de duplo-ouro, 160 medalhas de ouro e 90 medalhas de prata. Espumante Brut Champenoisee Tinto Super Premium foram as categorias com mais medalhas de ouro, com 31 e 37, respectivamente.

mais rotulos

A comissão Julgadora foi formada por especialistas brasileiros e do exterior: Michel Friou – França, enólogo chefe da vinícola Almaviva; Danio Braga – chef e sommelier, fundador da ABS Brasil; Sebastián Rodrigues – Chile, enólogo da Concha y Toro; Diego Arrrebola – Sommelier, atual bi-campeão brasileiro; Vladimir Veliz – Chile, do site CanaldeVino; Gilberto Pedrucci – enólogo e presidente do Sindivinho; Marcio Oliveira – jornalista de MG, responsável pelo site Vinotícias; Ed Arruda, sommelier chefe do Copacabana Palace; Ricardo Farias, presidente da ABS-Rio; Celio Alzer, professor da ABS-Rio; Roberto Rodrigues, diretor da ABS Rio; Homero Sodré, Delegate de Bordeaux no Brasil pelo CIVB; Jô Sodré, professora de vinhos da Universidade Estácio de Sá; Maria Helena Tahuata, vice-presidente da ABS Rio; Romeu Valadares, jornalista; Luiz Fernando Silva, do Grupo Pão de Açúcar; Sergio Queiroz, Grupo BACO; Marcelo Copello – Grupo BACO e presidente do juri. na foto abaixo, os vencedores com seus diplomas.

 vencedores

Então conheça os campeões da Eno-Olimpíadas, os vencedores de cada categoria da Grande Prova Vinhos do Brasil 2016 – na foto acima representantes com seus diplomas:

1.     Espumante Branco Brut Champenoise – Viapiana 575 dias e Gran Legado
2.     Espumante Branco Brut Charmat – Chandon Excellence
3.     Espumante Rosé Brut Champenoise – Cave Geisse Terroir
4.     Espumante Rosé Brut Charmat – Monte Paschoal Virtus
5.     Espumante Branco Extra-Brut e Nature – Cave Geisse Terroir Natures
6.     Espumante Prosecco/Glera – Monte Paschoal
7.     Espumante Branco Moscatel – Aliança
8.     Espumante Branco Demi-sec – Aurora Saint Germain
9.     Espumante Rosé Demi-sec e Moscatel – Don Guerino Moscatel Rosé
10.  Branco Chardonnay – Casa Verrone Speciale
11.  Branco Sauvignon Blanc – Don Guerino Sinais
12.  Branco Moscato – Macaw Perini
13.  Branco de Outras Castas e Cortes – Estância Guatambu

14.  Rosé – Dunamis Tom

vinhops 850 rotulos
1.     Tinto Cabernet Sauvignon – Barão de Petrópolis (Vinícola Bebber) e Aurora Millesime
2.     Tinto Merlot – Miolo Terroir e Salton Desejo
3.     Tinto Tannat – Simonetto
4.     Tinto PinotNoir – Suzin
5.     Tinto Cabernet Franc – Dal Pizzol Do Lugar
6.     Tinto Marselan – Viapiana Expressões
7.     Tinto de Outras Castas – Monte Paschoal Tempranillo
8.     Tinto Corte – Perini Quatro
9.     Tinto Syrah – Primeira Estrada (Vinícola Estrada Real)
10.  Tinto Super Premium (acima de R$ 100) – Perini Quatro
11.  Doces e Fortificados – Salton Intenso
12.  Suco de Uva Integral Tinto – Zanrosso
13.  Suco de Uva Integral Branco – Aurora
14.  Best Buy, bem pontuados até R$ 39,99 no varejo (serão divulgados posteriormente)
(*) Rogerio Ruschel é editor de In Vino Viajas, é gaúcho mas mora em São Paulo e é torcedor do vinho brasileiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *