Organização Mundial do Turismo realiza primeira Conferência Global sobre Enoturismo na Geórgia – o lugar onde nasceu o vinho, 9.000 anos atrás

Tempo de leitura: 4 minutos

logo evento
Meu caro leitor ou leitora, embora dezenas de países já estejam contabilizando milhares de visitantes com Enoturismo há mais de 30 anos, somente agora, em 2016, a Organização Mundial do Turismo (OMT) vai realizar o primeiro evento internacional sobre o assunto. A data é de 7 a 9 de Setembro, e o evento da OMT será na Geórgia, considerada o berço da produção de vinhos no mundo. Veja nesta matéria algumas imagens deste país que está na minha lista de locais para conhecer urgentemente – mas que infelizmente não vai ser agora… Na foto abaixo, um entardecer em Tbilisi, capital da Geórgia.
Beautiful panoramic view of Tbilisi at sunset, Georgia country
Beautiful panoramic view of Tbilisi at sunset, Georgia country
 A Geórgia é um pequeno e belo país da Europa Oriental que se tornou independente da ex-União Soviética em 1991. Tem uma geografia acidentada, com as maiores montanhas do Cáucaso, uma história rica em disputas e conquistas, um povo com cultura e tradição excepcionais, um pólo de turimo de qualidade emergente e é considerada o berço da produção de vinhos no miundo: arqueólogos acreditam que a produção de vinhos existe na região desde o ano 7.000 a.C. – ou seja, há 9.000 anos.

Ancient Alaverdi Wine Jugs

 Além disso a Georgia é detentora de uma tecnologia de vinificação ancestral que foi tombado pela Unesco como Patrimônio Imaterial da Humanidade denominada kvevri – ou qvevri, ou kwervri – que é o nome de um recipiente de barro que serve para fermentar a uva – veja acima e abaixo.
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pois a Conferência Global sobre Enoturismo  (em inglês “UNWTO Global Conference on Wine Tourism”) terá um formato único e dinâmico no qual as sessões terão lugar em diferentes vinícolas, tanto na capital Tbilisi, como na região vinícolas de Kakheti, com os convidados em plateias ou mesas. Especialistas farão apresentações curtas e objetivas para conduzir os debates que decorram em cada uma das mesas entre os participantes. Veja o mapa do vinho da Geórgia abaixo.

georgian-map =wines

Estarão participando da  conferência irá envolver, entre outras, Giovanni Mantovani, diretor-geral do recinto de feiras Veronafiere e criador do VINITALY (Itália); Janet Dorozynski, Comissário de Comércio, Vinhos, Cervejas e Bebidas espirituosas e de Turismo do Departamento de Assuntos Internacionais do Canadá; Mike Veseth, economista especializado em vinhos, professor emérito de Economia Política Internacional na Universidade de Puget Sound (Estados Unidos); Gabriel Fidel, assessor de vinho da Argentina); Ayana Mizawa, Chief Winemaker da Chuo Budoshu Co., Grace Wine (Japão); Pedro Vargas, Diretor de Projetos Internacionais do Fórum Espanhol de Marcas Renomadas (Espanha), que vai apresentar um projeto piloto de enoturismo – veja mais adiante.

Georgia Sighnaghi, inverno

Estão confirmados também personalidades europeias do ramo como Santiago Vivanco, diretor do Museu Vivanco da Cultura do Vinho (Espanha); Donald Hawkins, Eisenhower, Professor da Universidade George Washington (Estados Unidos), Paula Sousa, Diretor de Marketing e Turismo da Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo (Portugal); e Zaida Semprun, Chefe de Enoturismo de Marketing do Grupo Freixenet (Espanha) e auoridades locais como George Chogovadze, chefe da Administração Nacional de Turismo da Geórgia (Georgia); Levan Davitashvili, vice-ministro da Agricultura da Geórgia (Georgia); Patrick Honnef, enólogo e viticultor, Diretor Geral do Château Mukhrani (Geórgia); John H. Wurdeman V, proprietário da vinícola Lágrimas de Faisão (Geórgia).

Kakheti-1

Segundo o anúncio oficial, uma das novidades da Conferência é que será apresentado um protótipo de turismo que visa proporcionar uma forma inovadora de promover e divulgar um destino de enoturismo. O projeto vai abordar a Espanha e seu estilo de vida através das vinícolas associadas do Fórum de Marcas Renomadas da Espanha (FMRE), que está desenvolvendo o protótipo juntamente com o Programa de Membros Filiados da Organização Mundial do Turismo (OMT). Pelo novo modelo, as vinícolas participantes se tornarão centros de visitantes oferecendo aos viajantes percepções autênticas sobre a história e os recursos mais importantes de suas respectivas regiões – como a comerciante na feira livre, na foto abaixo.

mulher e feira

A OMT diz que esse projeto é uma nova abordagem para atender as demandas de consumidores emergentes de enoturismo e que o trabalho de campo para testar o modelo foi feito com a colaboração de vinícolas nas regiões Cádiz (Jerez, Puerto de Santamaría e Sanlúcar de Barrameda), Galicia, Penedés, Priorat, Ribera Del Duero, Somontano, Toledo e Toro. Na verdade isso é o que já vem sendo feito atualmente, e que os leitores regulares de In Vino Viajas já conhecem – em todo o caso, vamos ver o que os espanhóis estão propondo em conjunto com a OMT. Um brinde a iniciativa da OMT.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *