Um luxo só: cardápios e cartas de vinhos de banquetes oferecidos por autoridades e pela realeza portuguesa no Brasil do século XIX

Tempo de leitura: 3 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu prezado leitor ou leitora, o Brasil Imperial foi um luxo só e a Biblioteca Digital Luso-Brasileira – uma gigantesca coleção de documentos de interesse histórico feita em parceria por Portugal e Brasil na internet – mostra isso. Entre outas coisas dá para saber o que se comia e bebia nas festas chiques e banquetes no final do século XIX nos salões imperiais do Rio de Janeiro (foto acima). Nas imagens abaixo o cardápio do banquete comemorativo ao Centenário da Independência dos Estados Unidos, em 4 de julho de 1876, no Rio de Janeiro. Parece que nada mudou em relação à gastança…

banquete USA-2

A Biblioteca Digital Luso-Brasileira reúne acervos relevantes sobre a história comum dos dois países, provenientes de bibliotecas nacionais do Brasil e de Portugal. Criado em 2014, o portal conta com mais de 60 mil títulos, correspondendo a cerca de 13 milhões de imagens de materiais de domínio público, de todas as épocas e gêneros. Na imagem abaixo parte do cardápio do banquete oferecido no aniversário do rei de Portugal D. Luiz I em 31/10/1883.Cardápio de D Luis I

Entre os destaques do portal estão várias versões de Os Lusíadas, de Luís de Camões, obra máxima da literatura portuguesa. Outro acervo importante é o do Projeto Resgate, uma iniciativa dos ministérios brasileiros da Cultura e das Relações Exteriores por ocasião dos 500 anos da chegada de Pedro Álvares Cabral. Dá para ver também que desde o século XIX os políticos já se locupletavam com dinheiro público, como mostram as tres imagens do cardápio abaixo, de um “banquete politico” partidário, uma versão imperial do mensalão.politico 1 politico 2 politico 3Para quem tem interesse informo que cerca de 300 mil documentos relativos à administração do Brasil Colônia guardados no Arquivo Histórico Ultramarino, de Lisboa foram digitalizados e estão disponíveis também na Biblioteca Digital Luso-Brasileira. Muitos destes documentos snao sobre relações internacionais. Veja abaixo três partes do cardápio do banquete oferecido aos oficiais do encouraçado chileno Almirante Cochrane pelo Visconde do Ouro Preto, então Presidente do Conselho dos Ministros do Brasil, em 1886, no Rio de Janeiro (três anos antes da Proclamação da República). chile 1 chile 2 chile 3

Para ilustrar esta matéria pesquisei algumas imagens de cardápios de festas, banquetes e eventos. Muitos deles foram feitos pela Casa Leuzinger, uma gráfica criada pelo suiço Georg Leuzinger em 1840 no Rio de Janeiro, a partir de uma pequena papelaria. Os dois cardápios da Fazenda de Santa Monica que mostram a oferta de gloriosos vinhos portugueses, franceses, italianos e até mesmo vinho Tokay da Hungria e um Porto Excellentissimo, de 1834, publicados abaixo, são exemplos do trabalho da Casa Leuzinger.santa monica 1 santa monica 2

A Leuzinger fazia gravuras, tipografia e litografias e como o suiço era fotógrafo, em 1860 também se tornou um ateliê fotográfico, se transformando em uma das maiores empresas de impressão e artes gráficas do século XIX, participando de quatro edições da Exposição Nacional, no Rio de Janeiro, e das Exposições Universais de Viena, em 1873, de Antuérpia, em 1885, e de Paris, em 1867 e 1887.SM 1 SM 2

Mas os grandes banquetes não se limitavam ao Rio de Janeiro, como mostra este banquete realizado em São Carlos do Pinhal, cidade paulista, em 1886, dois anos antes da Abolição da Escravatura e três anos antes da Proclamação da República – veja abaixo.sao carlos 1 sao carlos 2

Caro leitor ou leitora: se você tiver alguma referência sobre a Fazenda de Santa Monica (se era restaurante, importador ou distribuidor de bebidas), por favor nos envie para melhorarmos a informação.

Visite a Biblioteca Digital Luso-Brasileira aqui: https://bdlb.bn.gov.br//

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *