Um passeio na cave da Taylor’s em Gaia, Portugal: uma viagem na historia e a degustação de alguns dos melhores vinhos do Porto do mundo

Tempo de leitura: 4 minutos

Por Rogerio Ruschel (*)

Meu prezado leitor ou leitora, uma visita a Vila Nova de Gaia, a cidade-espelho de Porto, em Portugal, é sempre uma festa para todos os cinco sentidos, para conhecer e tirar fotos, mas especialmente para degustar os vinhos do Porto e suas hamornizações. Uma visita a cave da Taylor’s é um grande exemplo disso.

Fundada em 1692 pelo comerciante britânico Job Bearsley, a Taylor’s é um dos mais respeitados, premiados e badalados produtores de vinhos do Porto do mundo e acumula um aprendizado de 325 anos sobre inovação e preservação na dose certa. Um exemplo: até hoje na Quinta de Vargellas, Terra Feita e Junco, as propriedades da Taylor’s no Douro, as uvas continuam a ser amasssadas com os pés nos lagares de granito. Mas ao mesmo tempo a empresa foi a criadora do LBV (Late Bottled Vintage), um estilo que ajudou a renovar o vinho do Porto.

A Taylor’s é uma empresa independente, familiar e profissionalizada – até porque neste ramo não pode ser de outra forma para poder competir com gigantes. É conhecida por ter uma das maiores reservas de vinhos raros e envelhecidos em garrafas – que descansam em enormes galpões no centro histórico de Gaia, e por seus Porto Vintage, rótulos excepcionais com grande potencial de envelhecimento e que muitas vezes conquistam 100 pontos. Na foto abaixo um depoimento de Jancis Robinson no museu da cave.

Desde sua criação a empresa foi administrada familiarmente e as tres primeiras gerações foram pioneias em vários aspectos: o filho Peter Bearsley, que também foi cônsul britânico em Viana do Castelo, foi o primeiro a visitar as vindimas no Douro e seu filho Bartholomew foi o primeiro exportador britânico de vinhos a comprar uma propriedade no Douro, em 1744, que até hoje pertence à empresa.

A historia é complexa, mas para resumir, as familias resistiram a vários problemas enfrentando até mesmo a crise gerada pelo Marquês de Pombal, que em 1756 fundou uma empresa monopolista para regular o comércio do vinho do Porto. Atualmente a Taylor’s é uma das marcas da The Fladgate Partnership, sob a direção de Adrian Bridge, grupo que também é proprietário do luxuoso Hotel The Yeatman, em Gaia.

Pois esta história pode ser conhecida no museu da cave em Gaia que ganhou reforços recentemente. Foi feita uma reforma das instalações e criado um novo museu inovador sobre a historia do vinho do Porto e da empresa com filmes, documentos, exposições, fotografias e pinturas e mobiliário (como a carruagem abaixo) – além de uma grande coleção de garrafas.

No final do passeio os visitantes tem a oportunidade de provar dois importantes vinhos do Porto Taylor’s: o Chip Dry – Extra Dry White, um branco seco, e o Late Bottled Vintage (LBV), duas criações da empresa no “universo dos Porto”, nos anos 30 e 70, respectivamente, relaxando no belo ambiente da sala de prova (acima). Este programa básico dura uns 60 minutos (dependendo do seu tempo na lojinha) e custa 12 Euros. Como jornalista, fui recebido por um executivo especializado que me apresentou uma degustação mais ampla e generosa, incluindo outros rótulos excepcionais e experiências inesquecíveis.

Além do museu e da loja, sugiro que você conheça também o Restaurante “Barão de Fladgate” que oferece uma bela vista do rio Douro, de Gaia e do Porto a partir de um terraço, ou de um dos jardins, ou da parte interna do restaurante (acima). Como estava no horário de almoço decidi relaxar e com minha mulher escolhemos bacalhau em duas versões – fotos abaixo; mas tenho certeza de qualquer escolha será bem atendida.

Então meu prezado leitor ou leitora, quando planejar sua visita a Vila Nova de Gaia lembre-se de reservar tempo para conhecer com mais detalhes uma adega clássica de vinho do Porto como a cave da Taylor’s. Além de saber como são produzidos, você vai conhecer um pouco da historia dos vinhos do Porto, um capitulo imperdivel da historia da cultura do vinho no mundo.

(*) Rogerio Ruschel – na foto acima voltando de Gaia para Porto – é editor de In Vino Viajas em São Paulo, Brasil e esteve em Vila Nova de Gaia por conta própria.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *