Um passeio em seis rotas de vinho no norte da Itália com direito a visitar um Patrimônio da Humanidade e a Capital Européia do Vinho 2016

Tempo de leitura: 6 minutos

Rogerio Ruschel (*)

Prezado leitor ou leitora, os vinhos italianos têm uma grande reputação internacional porque oferecem diversidade e qualidade – na estrutura, no corpo, no equilíbrio, na cor, no sabor. Pois é, e viajar pelo norte da Itália, do Piemonte à Toscana com o paladar para degustar e comer, e com os demais sentidos experimentando e fotografando vilarejos, paisagens e vinhedos ancestrais acrescenta experiências inesquecíveis a todos os que a visitam. A GoEuro, uma plataforma de viagem intermodal, publicou recentemente uma sugestão com seis rotas de vinhos no Norte da Itália, que vou mostrar parcialmente aqui. Maremmna, na Toscana, na foto abaixo, está no roteiro.

Paolo Benvenutti, diretor da Cittá del Vino me disse em entrevista exclusiva em 2015, “A excelência dos vinhos italianos é obtida em pequenas cidades: Montalcino, onde é produzido o Brunello, tem apenas 5.000 habitantes; Barolo e Barbaresco, do Piemonte, em conjunto, não excedem estes números. Aliás, 80% dos mais de 560 municípios associados a Città del Vino, tem menos de 10.000 habitantes.” Confirmando Benvenutti, estes roteiros podem apresentar o que de melhor se pode obter em pequenas comunidades. Veja a entrevista de Paolo ao fim desta matéria. Acrescento a esta reportagem algumas fotos de Mario Ventura, um fotógrafo italiano com quem tenho trabalhado, que é um artista das lentes e da sensibilidade; para conhecer melhor o trabalho dele veja o link no fim deste texto. Agora vem comigo, vamos pegar a estrada, começando pelo Piemonte, na foto abaixo.

  1. Do Piemonte a Asti

A rota do vinho proposta tem seu início no Piemonte, especificamente em Turim, para visitar algumas das melhores vinícolas e vinhos italianas. Da capital do Piemonte podemos viajar em apenas trinta minutos para Asti, um território composto por belas colinas com vinhedos.

  • Vinhos: Barbera, Nebbiolo, Grignolino, Arneis, Freisa, Moscato, Spumante

A paisagem de Asti é composta por colinas onde se encontram os vinhedos. Aliás, não custa lembrar que as colinas e comunidades do Langhe, Roero e Monferrato (foto acima) no Piemonte, foram reconhecidas como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco em 2014. Então, além dos vinhos, aproveite a beleza da natureza e seus produtos típicos, como a bagna cauda ou tajerin em algumas fazendas no campo de Astigian. Abaixo, vila de Barolo.

  1. De Asti para Novi Ligure

Em Novi Ligure existem várias vinícolas, e a especialidade regional são vinhos como Gavi Doc ou Monferrato Doc. A mais popular das vinícolas é a Tenuta La Marchesa (foto abaixo), onde você pode saborear os vinhos acima mencionados. Outra característica excelente desta região é que você pode fazer uma visita noturna com a idéia de provar a experiência turística de uma maneira diferente.

Além disso, este território italiano é famoso pela sua cozinha. Se você visitar Tenuta La Marchesa (foto abaixo), terá a oportunidade de experimentar pratos feitos com legumes frescos e frutas do jardim transalpino.
• Vinhos: Gavi Doc, Monferrato Doc
• Onde prová-los: na cidade de Novi Ligure existem várias vinícolas, incluindo a Tenuta La Marchesa, onde você pode saborear o Gavi DOCG. Abaixo, vinhedo em Asti-Langa-Monferrato

  1. De Novi Ligure a Verona

Além de ser a “cidade de Romeu e Julieta”, Verona (abaixo) é indispensável para fãs de bons vinhos, porque lá você pode encontrar variedades como Amarone, Valpolicella, Bardolino, Ripasso, Recioto ou Soave. Esta região é um dos maiores produtores de vinhos italianos e tem uma particularidade: produz seus produtos de forma amigável com a natureza, em um contexto de sustentabilidade.

Uma das vinícolas mais visitadas é a fazenda orgânica San Mattia, que tem vinhos orgânicos e deliciosos produtos locais para a harmonização perfeita. E por falar em comida, em Verona fica a Antica Bottega del Vino (foto abaixo), um dos mais antigos bares de vinho do mundo, criado em 1890, que fica a poucas centenas de metros da famosa Arena de Verona.
• Vinhos: Amarone, Valpolicella, Bardolino, Ripasso, Recioto, Soave
• Onde prová-los: em Veronese, em Valpolicella, há muitos lugares para escolher. Também na área em torno de Verona, as fazendas onde você pode apreciar os vinhos DOCG e DOC da área são muitas, e uma delas é a Cantina Corte San Mattia.

  1. De Verona a Conegliano

Conegliano (fotos abaixo) está localizado no coração dos vales do Prosecco, onde nas encostas suaves das colinas, milhares de fileiras de uvas amadurecem ao sol. Conegliano e cidades vizinhas foi/foram eleita(s) Cidade Europeia do Vinho 2016. Aproveite a magia do campo de Conegliano, um território no qual os visitantes podem desfrutar da hospitalidade local através de suas atividades de agroturismo.Um dos melhores vinhos que podemos apreciar nesta área é o Prosecco e o Spumante, sendo a cantina Carpené Malvolti um destino essencial nesta área, graças à sua especialização em Prosecco.
• Vinhos: Prosecco DOC e DOCG, Spumante

  1. De Conegliano a Florença

A área da Toscana é uma das mais populares da Itália por sua beleza e riqueza, tanto a paisagem como a herança histórica, artística e arquitetônica. Também é famosa pelas inúmeras vinícolas onde podem ser provados os vinhos Chianti, Carmignano, Pomino, SuperToscano e Vin Santo.

Florença é uma das cidades mais importantes da Europa, berço da cultura e um ótimo produtor de vinhos. Nas colinas que cercam a cidade existem inúmeras vinícolas que abrem suas portas aos visitantes e onde você pode fazer caminhadas ou curtir mountain bike para descobrir a beleza da área. A adega mais popular da região é a Antinori Winery. Na foto abaixo uma viela na Toscana, em doto de Mario Ventura.
• Vinhos: Chianti, Carmignano, Pomino, Vin Santo

  1. De Florença a Grosseto

Estas duas cidades da Toscana estão unidas pelo vintage e por sua bela paisagem, a região de Maremma (foto abaixo). Embora menos conhecida, ninguém deve duvidar do potencial da Maremma no setor de vinhos, pois possui três rotas de vinhos oficialmente reconhecidas, o que torna mais fácil encontrar boas vinícolas. A recomendação é a cantina Val delle Rose, em Grosseto, e vislumbrar a bela paisagem das colinas desta região com vista para o mar.

Aproveite parar em uma das muitas fazendas orgânicas da área e mergulhar na autenticidade de suas paisagens e produtos. Se tiver um dia a mais, visite Montichiello, no Val d’Orcia, bem pertinho, onde vai passear por estradas como a da foto de Mario Ventura, abaixo.
• Vinhos: Morellino di Scansano, Vermentino, Maremma

Quer conhecer mais sobre a Itália, seus vinhos e enoturismo? In Vino Viajas mostra:

Conhecendo o Norte da Itália: Lago di Garda, meia ópera em Verona sem Romeu e Julieta e vinhos locais, aqui:  http://www.invinoviajas.com/2012/06/lago-di-garda-meia-opera-em-verona-e/

Molto bello, Belíssimo: a simplicidade encantadora dos vilarejos da Itália revelada pela arte fotográfica de Mario Ventura, aqui: http://www.invinoviajas.com/2014/09/molto-bello-simplicidade-encantadora/

Piemonte, na Itália, é a sétima região vinícola reconhecida como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco; conheça todas aqui http://www.invinoviajas.com/2014/06/piemonte-na-italia-e-setima-regiao/

Veja como a organização Città del Vino valoriza a identidade italiana dos vinhos e incentiva o enoturismo na Itália com excelência e competitividade – aqui: http://www.invinoviajas.com/2015/08/conheca-como-citta-del-vino-promove-o/

Duomo de Florença: a obra de 600 anos que venceu o tempo, a peste, a falta de recursos e os limites da Arte  –http://www.invinoviajas.com/2013/11/duomo-de-florenca-obra-de-600-anos-que/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *