Se suicida em Nova Iorque o executivo que roubou mais de um milhão de dólares em vinhos do CEO da Goldman Sachs

Tempo de leitura: 1 minuto

Por Rogerio Ruschel

Meu caro leitor ou leitora, o desejo por vinhos muito caros acaba de provocar mais um suicídio de alto nível. Nicolas De-Meyer, ex-assistente pessoal do CEO do Goldman Sachs, um dos maiores grupos de investimentos e valores mobiliários do mundo, cometeu suicídio esta semana em Nova Iorque, pouco antes da hora que estava agendada para testemunhar e reconhecer ter roubado cerca de US$ 1,2 milhão de dólares em vinhos de alta qualidade da adega privada de seu ex-chefe, David Salomon, o sujeito da foto acima, conhecido colecionador de vinhos. De-Meyer, de 41 anos, havia chegado a um acordo com seus advogados e iria se declarar culpado do crime de roubo e assim, reduzir a pena. Estava hospedado no 33o. andar do hotel Carlyle, e na manhã do dia em que seria escoltado pela polícia enviou mensagens para parentes falando em suicídio; quando a policia entrou no seu quarto ele estava nu, sentado na beirada da janela, sorriu para os policiais e se jogou.

O executivo trabalhou entre 2008 e 2016 na Goldman Sachs como assistente de David Salomon, que recentemente assumiu como CEO da empresa e admitiu em novembro de 2016 ter roubado centenas de garrafas de vinhos, incluindo sete de uma marca e safra considerada entre as mais raros do mundo – o New York Times especula que seriam da Domaine Romanée-Conti. Na época ele prometeu devolver todo o dinheiro, mas acabou fugindo e passou 14 meses no exterior – provavelmente bebendo o fruto do crime. Em janeiro deste ano retornou aos Estados Unidos e foi preso no Aeroporto de Los Angeles. Passou dois meses sob custódia federal, pagou fiança de mais de um milhão de dólares e vivia na casa de mamãe em Ohio.

Em Janeiro de 2016 outro suicídio importante relacionado a vinhos sacudiu o mundo: o francês naturalizado suíço Benoit Violier, então premiado como o melhor chef do mundo, cometeu suicídio porque havia comprado mais de um milhão de Euros de um vendedor picareta que não os entregou. Saiba mais aqui: http://www.invinoviajas.com/2016/02/a-gastronomia-de-luto-o-melhor-chef-do/

2 Comentários


  1. Achei desnecessário os comentários. Não condiz com o nivel cultural de quem gosta e coleciona vinhos. Tá mais pra notícia sobre as eleições brasileiras.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *