CVR Vinhos Verdes, Portugal: um brinde aos 111 anos fazendo marketing inteligente para um produto diferenciado

Tempo de leitura: 4 minutos

Por Rogerio Ruschel

Meu prezado leitor ou leitora, amei de verdade as duas vezes em que visitei o Minho, Portugal, região dos Vinhos Verdes, fazendo palestra e turismo. Pois neste 18 de Setembro de 2019 a CVRVV – Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes comemora 111 anos da criação formal da Demarcação da Região dos Vinhos Verdes e quero enviar meu brinde daqui de São Paulo.

A CVRVV representa um esforço comunitário focado em um único tipo de vinho que é exclusivo no mundo. Isso poderia ser considerada uma limitação para muitos vinhateiros, mas os minhotas a transformaram em uma vantagem e hoje este vinho único, refrescante e alegre, chega a mais de uma centena de países por duas grandes razões: primeiro porque são vinhos excelentes e exclusivos, e segundo, porque os produtores investem em organização, cooperação, fiscalização – e marketing, marketing do tipo nteligente.

Segundo Manuel Pinheiro, Presidente da Comissão Executiva da CVRVV, esta é a receita do sucesso. Diz ele: “É importante sublinhar o extraordinário trabalho que toda uma equipa de viticultores, produtores e engarrafadores tem feito pela Região dos Vinhos Verdes ao longo de tantas décadas, tornando possível que hoje celebremos 111 anos com uma expressão forte da Região em todo o Mundo.” Na foto abaixo eu verifico vinhas de Alvarinho em uma quinta na fronteira com a Galicia espanhola.

Para você ter uma idéia, destaquei alguns exemplos de iniciativas de marketing inteligente bem atuais, que vão além do que a CVRVV já faz permanentemente como a promoção da Rota dos Vinhos Verdes, ações do Museu do Vinho Verde, programas de visitas as Adegas, festivais de gastronomia, festas do vinho Alvarinho (participei de uma delas, a Feira do Alvarinho, veja a foto que abre este matéria, com outros palestrantes de um Congresso Internacional de Enoturismo, em 2016) e tantos outras iniciativas que são o dia-a-dia dos produtores. Veja só as mais recentes realizações:

* Dia 8 de Novembro os produtores vão conhecer o Plano de Promoção 2020 da Região dos Vinhos Verdes e os resultados de um estudo estratégico de valorização da marca Vinho Verde nos mercados internacionais, além da nova plataforma de inscrição nas ações de promoção da CVRVV.

* Os Vinhos Verdes e os Vini Veronesi (via Consorzio Associazione Vini Veronesi (AVIVE) que reúne as DOC Arcole, Bardolino, Custoza, Garda, Lessini Durello, Lugana e Soave) assinaram um protocolo de cooperação que une a região do Minho (Portugal) e a região de Verona (Itália) – o Programa Grandes Vinhos Europeus. Um exemplo que precisa ser conhecido por produtores brasileiros que têm alergia a trabalho conjunto: vinhos “concorrentes”, de países “concorrentes” associados em um esforço de ampliação da base de consumo. Financiado em 80% pela União Europeia, o programa é focado na geração Millennials, mas permitirá também chegar a 2.400 profissionais de diversos mercados. O roteiro inclui eventos conjuntos em Beja (28 de setembro), Faro, Évora, Setúbal, Portimão, Santarém, Lisboa (Encontro com Vinhos, 9-11 de novembro), Leiria, Coimbra e Funchal. Isso em Portugal, porque o orçamento de 3,4 milhões de euros em três anos prevê promoção conjunta na Dinamarca, França, Alemanha e Portugal. As ações serão realizadas pela agência Essência do Vinho e ministradas por profissionais da Revista de Vinhos.

* Entre 6 e 7 de Novembro a Academia do Vinho Verde (sim, eles criaram um ambiente próprio para capacitação de profissionais), em parceria com o Turismo de Portugal – Escola do Porto (sim, o enoturismo é entendido como centro de lucro), promoverá a formação em Enoturismo – Nível 1. Segundo a informação, “Esta formação pretende dotar os formandos de técnicas e de conhecimentos que potenciem a experiência da visitação turística, bem como da utilização dos recursos turísticos da Região na concepção da oferta do produto da unidade de Enoturismo.  A duração da mesma é de dois dias, sendo abordados os temas atendimento, acolhimento e informações turísticas.”

Além disso a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes disponibiliza aos associados programas de eventos internacionais e nacionais; estatisticas de estoque e vendas; e programas de visita de compradores e jornalistas de mercados-alvo. Só para deixar claro: a CVRVV é um organismo interprofissional dedicado a proteção e promoção do Vinho Verde e da denominação Minho e se estrutura como uma “Associação Regional, Pessoa Colectiva de Direito Privado e Utilidade Pública”.

Brindo a isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *