Villagio Conti: o milagre do tanino italiano que brota nas altitudes catarinenses

Tempo de leitura: 3 minutos

Por Rogerio Ruschel

Meu prezado leitor ou leitora, como todo mundo e provavelmente você, eu gosto muito de receber presentes. Esta semana recebi pelo correio uma belíssima caixa de madeira com gravação a fogo e dentro dela três garrafas de vinhos diferenciados e premiados da Villagio Conti, produzidos com uvas italianas no Vale do Pericó, a 1300 metros de altitude, em São Joaquim, nas altitudes catarinenses – uma raridade enológica.

Nesta propriedade a familia Conti escolheu produzir vinhos com castas italianas como as tintas Sangiovese, Montepulciano, Nero d`Avola, Teroldego, Pignolo, Refosco dal Pedunculo Rosso, Rebo e Aglianico e as brancas Vermentino, Grechetto, Gewürztraminer, Malvasia e a Ribolla Gialla, bastante adequada para a produção de vinhos Laranjas.

Humberto, o pai, que é engenheiro de alimentos, e seus filhos Enrico, agrônomo (acima), Bruno, sommelier e Luca, administrador, (abaixo) produzem os vinhos com imensa dedicação. Como a família tem sangue italiano, a dedicação é profunda e a região é lindissima, os vinhos expressam tudo isso. Na cor, aroma e sabor.

No pacote milagroso que recebi do Humberto Conti, estavam uma garrafa do Don Guino, com uvas Montepulciano, safra 2018; um Rosso D’Altezza, também 2018, com a toscana Sangiovese cortada com 20% de Montepulciano e Teroldego, uma uva que é novidade para mim; e um vinho branco, o Ribolla Giaia, safra 2018, uma delícia muito elegante.

O Dom Guino, muito escuro e denso, me cativou. Apresentou aromas de frutas vermelhas, um pouco de cacau e talvez tabaco, creio que porque fica 12 meses em barricas de carvalho americano. Trata-se de um vinho com personalidade que permanece com longo e saudável final na boca.Sabe aqueles vinhos que te deixam com saudade?

Ainda não abri o Rosso D’Altezza, mas já tinha provado outra garrafa no ano passado e pelo que anotei se trata de um vinho com personalidade marcante: é potente mas equilibrado e tem um toque tânico derivado dos 14 meses de barrica. Embora o Rosso D’Altezza seja um pouquinho mais caro do que o Dom Guino, me parece que este é o campeão da caixa milagrosa que recebi pelo correio. Afinal, não se discute gosto pessoal.

A Ribolla Gialla (acima) é uma uva pouco aproveitada no Brasil, acho mesmo que a Villagio Conti é pioneira no plantio e uso aqui nestas terras tropicais. Consta que é nativa da ilha grega Cephalonia, mas é destaque na região de Friuli, no nordeste da Itália – e nestes locais é uma Denominação de Origem. Também é encontrada no litoral da Eslovênia, onde é conhecida como Rebula. Tem acidez elevada e alta intensidade aromática, com toques de pêssego, maçã, abacaxi, floral e algo cítrico.

A Villagio Conti também produz vinhos rosé, espumantes e dois laranjas, o Arancione com o corte de uvas Ribolla Gialla, Grechetto, Vermentino e Malvasia e o Bacio, com base na uva Gewürztraminer – germânica-francesa de grande expressão na Alsácia, tipo assim uma estranha no ninho de altitude da serra catarinense. O que mostra que os Conti buscam expressão e não seguir modismos ou receitas. Para saber mais visite o site http://www.villaggioconti.com.br/

Brindo à dedicação da familia Conti e aos resultados que vem alcançando. 

Mas para conhecer acelera, amigo ou amiga, porque como a produção é baixa e a procura é alta, alguns do rótulos estão acabando – ou já acabaram.

4 Comentários


  1. Estive ano passado na vinícola com um grupo seleto da ABS e o especialista e escritor sobre vinhos nacionais, Rogério Dardeau. Fiquei encantada com os vinhos da Villaggio Conti. Perfeita a avaliação do Rogério Ruschel. Vale a pena adquirir exemplares desses vinhos elaborados com tanto primor.
    Parabéns a família Conti!!!

    Responder

    1. Olá Marilia. Obrigado pelos comentários. A familia Conti de fato está caprichando, é uma alegria tê-los aqui nas nossas adegas, um privilégio. Abraços

      Responder

  2. Caro Rogério, que espetáculo. Sou muito fâ de toda Itália e dos vinhos e toda tradição da vinicultura italiana. è um orgulho o Brasil ter produtores e investidores como O Villaggio Conti, que como é notório tem paixao pelo que faz. Com certeza divulgarei esses rótulos assim como esta belissima Cantina.
    Parabens pela matéria e que MIMO heim rsss… que gostoso reveber un Regalo!
    Salute!
    Paula Porcel

    Responder

    1. Olá Paula, obrigado pelo comentário, de fato os vinhos da Villagio Conti são excepcionais contribuições para nosso paladar.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *