Porque a Três Corações investe em cafés de terroir, com identidade territorial e cultura comunitária?

Tempo de leitura: 2 minutos

Por Rogerio Ruschel

Prezado amigo ou amiga, a Três Corações, talvez o maior produtor brasileiro e um dos gigantes exportadores de café do Brasil, está investindo em produtos bem pequeninos, verdadeiramente de nicho, em paralelo às milhares de toneladas exportadas anualmente, que conquistaram o mundo. Afinal, porque faz isso? Porque é ótimo para os negócios – e vou explicar porque.

A Três Corações desenvolveu a marca Rituais Cafés Especiais para agregar valor a um produto que no mercado interno é vendido em seu maior volume como um produto generico, sem diferenciação aparente. Há uma boa probabilidade de que a iniciativa seja resultado da ótima experiência que a empresa vem obtendo com exportações, inclusive dentro do conjunto do trabalho da Denominação de Origem – D.O. Café do Cerrado Mineiro.

Trata-se de uma clara declaração de amor à valorização da identidade territorial, com foco na diferenciação dos terroirs.

Segundo o fabricante, os Rituais Cafés Especiais surgiram “para explorar sabores, aromas e texturas que envolvem e surpreendem, são uma jornada que conduz para um novo lugar.” E continua: “Para nós, a origem do café é seu próprio destino, e essa travessia transforma”. Trata-se de uma clara declaração de amor à valorização da identidade territorial, com foco na diferenciação dos terroirs. Neste caso a Três Corações já tem produtos de terroirs do Brasil (Cerrado Mineiro, Mogiana Pauista, sul de Minas, Orgânico) e de outros países com identidade geográfica consolidada como Java,  Etiópia, Kenia e Colombia.

Você pode dizer: OK, terroir já vem sendo explorado pelos vinhos, queijos e cafés. É verdade, terroir é fundamental para a Identidade Geográfico – IG ou Denominação de Origem – DO. Mas além da valorização destes terroirs, a empresa mantém uma linha vintage (excepcional e extemporânea) denominada “Microlotes do Projeto Florada”, com cafés criados para “reconhecer o trabalho de mulheres cafeicultoras de todo o Brasil”, como resultado de um concurso para agricultoras. É mesmo uma ótima ideia. E na sequência desta boa ideia, teve uma outra: contratou o Padre Fabio de Melo como embaixador do Projeto Floorada, em novembro de 2019. 

E olha o que ele diz: “Fui conhecer de perto o Projeto Florada no sítio da cafeicultora Luciene Mota, em Pedralva, e o que mais me encantou nesta imersão foi, além de conhecer a história e a família da Luciene, perceber a oportunidade que a 3 Corações proporciona a estas cafeicultoras. (…) Além disso, sou apaixonado por café, e saber quem produziu esta bebida e sua história, é o que o torna ainda mais especial”. De novo, uma declaração de amor à identidade territorial – ou, neste caso, uma oração…

O comercial pode ser visto aqui: https://www.facebook.com/cafe3coracoes/videos/1322746554571033/?v=1322746554571033

Para saber mais, sugiro a leitura de:

2 Comentários

Deixe uma resposta para CARLOS FIORAVANTI Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *