Festas do vinho – enoturismo interativo e delicioso

Tempo de leitura: 3 minutos

Rogerio Ruschel (*)
Sou jornalista de turismo há mais de 20 anos e sempre dou um jeito de somar o interesse turístico com a possibilidade de experimentar e aprender mais sobre vinhos. Pratico enoturismo.

 

Mas enoturismo é mais do que uma viagem para beber vinho. O enoturismo de qualidade deve oferecer encantamento ao turista pelas paisagens e imersão na cultura da comunidade visitada através de folhetos, livros, catálogos, posteres, pequenos museus, música ambiente, artigos relacionados ao vinho para o turista comprar como lembrança e muitos outros.

 

Serviços ligados às necessidades do turista como alimentação e hospedagem devem também ser tratadas como oportunidades para criar uma atmosfera de experiências positivas para o turista. Assim, comer significa experimentar os alimentos, doces, azeites, temperos, condimentos, hábitos alimentares da gastronomia típica – e dormir deve significar ter recursos hotelaria com mobiliário, colchões, cobertas, mimos no quarto e outros equipamentos que traduzam o ambiente rural onde o vinho está sendo produzido.

 

Indo mais além, o enoturismo deve envolver o visitante na cultura e até no idioma da comunidade produtora e transformar-se em uma experiência para os cinco sentidos. Em muitos locais – na Itália, Portugal, Espanha, Alemanha e França e na serra gaúcha – o turista pode participar das atividades de trabalho do ciclo produtivo do vinho, como por exemplo na colheita, ajudando no corte, transporte, armazenamento e até mesmo na brincadeira de amassar as uvas com os pés.

 

Enoturismo de qualidade não é muito comum no Brasil e a importância do enoturismo só agora está sendo percebida pelas vinícolas brasileiras, como fator gerador de receita imediata e futura. Mas vai mais além da venda produtos, como Adriano Miolo, de tradicional família produtora de vinhos na serra gaúcha reconhece: “O turismo do vinho é uma das mais eficazes ferramentas de transformação da imagem do vinho brasileiro. O visitante vem, conhece, degusta, pergunta. Interage com o produto, vê paisagem, o cuidado, entende como é elaborado. Se sente orgulhoso, orgulho de ser brasileiro e se surpreende. É tocado para sempre.” Um exemplo: onde mais uma pessoa poderia ver esta carroça carregada de garrafas de vinho chianti Ruffino, abaixo? Só em uma festa na Toscana.

 

Nas regiões vinícolas mais desenvolvidas o enoturismo é promovido nas festas da colheita (em setembro na Europa e fevereiro no Brasil) ou religiosas, que variam de comunidade para comunidade. Conheça algumas delas a seguir.
Fête des Vendanges (Clos Montmartre, Paris, França) – veja um post especial sobre isso aqui no In Vino Viajas

 

 

Ban des Vendanges (Saint-Émilion, Bordeaux, França)
Os membros do Jurade de St Emilion – a grande confraria do pequeno vilarejo da região de Bordeaux – fazem uma procissão com suas vestes no final do verão europeu, como parte de um festival que prepara a vila para a próxima safra. Conheça Saint Emillion em outro post aqui no In Vino Viajas.

 

Mostra del Chianti (Montespertoli, Toscana, Itália)
Uma celebração em honra dos Chianti é realizada na cidade de Montespertoli, na Toscana, no final do mes de maio, com desfiles temáticos, música, comida e muito vinho Chianti.

 

Haro Fiesta del Vino (Rioja, Espanha)
A Fiesta del Vino da cidade de Haro, em La Rioja, Espanha, em 29 de junho, é conhecida porque as pessoas se lambuzam com guerra de vinho. Moradores e turistas, vestidos com camisas brancas, enchem baldes com vinho La Rioja e comemoram a festa de São Pedro.

 

Bordeaux Fête Le Vin (Bordeaux, França)
No final de junho, a cidade de Bordeaux comemora um enorme festival de vinho nas margens do rio Garonne, que divide a cidade e exporta parte da produção de vinho para todo o mundo. São quatro dias de festa dedicados ao vinho, à gastronomia e à cultura. Em breve você encontrar vários posts sobre Bordeuax aqui no In Vino Viajas.

 

(*) Rogerio Ruschel – rruschel@uol.com.br– é jornalista de turismo, enófilo e consultor especializado em sustentabilidade e gosta muito de festas do vinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *