Conheça o pioneiro “Imaginem”, do Alentejo, e a história do vinho com certificação ambiental PAS 2050 de baixa pegada de carbono

Tempo de leitura: 2 minutos

 

Por João Monge Ferreira (*)
“O alentejano “Imaginem” é o primeiro vinho a obter a certificação PAS 2050:2011 no âmbito da pegada de carbono e serviços em Portugal. A PAS 2050 é uma norma internacional criada pelos ingleses que regulariza metodologias para avaliação de emissões de gases de efeito de estufa, ao longo do ciclo de vida de um produto ou serviço, permitindo evidenciar a pegada de carbono resultante da sua produção. O “Imaginem” foi auditado pela entidade certificadora DNV – Det Norske Veritas.

 

Produzido pela Herdade da Mingorra em Trindade, Beja, na região mais quente do Baixo Alentejo (foto acima), o vinho nasce com uma pegada de carbono menor do que a de um vinho comum. Segundo refere Henrique Uva, o produtor (foto abaixo), o vinho «tem uma garrafa mais pequena e mais leve do que o normal para o seu segmento, um rótulo e contra-rótulo em papel reciclado, e uma rolha de cortiça natural com certificação FSC». O projecto de desenvolvimento do “Imaginem” apresenta algumas soluções e práticas culturais inovadoras que têm como objectivo reduzir e mitigar os gases de efeito de estufa decorrentes da prática vitivinícola.”

 

Por Rogerio Ruschel (*)
Como editor do In Vino Viajas complemento a informação do João Monge Ferreira, para você saber um pouco mais sobre pegada ambiental e vinho:
* O vinho Anna de Codorníu, produzido pela Vinícola Bodega de Sant Sadumí d’Anoia na Espanha, é o primeiro vinho espumante do mundo a conseguir o certificado PAS 2050:2011 da entidade independente Carbon trust.
* Em Portugal a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana vem investindo nesta certificação de modo coletivo para seus associados desde 2012, no contexto de um Plano de Sustentabilidade para os Vinhos do Alentejo, mas resultados práticos ainda não podem ser contabiizados.
* Desde 2008 os produtores de vinhos da África do Sul podem calcular a pegada de Carbono de seus produtos pela internet. É uma iniciativa da “Confronting Climate Change: A South African Fruit and Wine Initiative” e o site é http://www.climatefruitandwine.co.za/?menu=2
* Em 2008 foi fechado um convênio internacional para a indústria do vinho, o “The Greenhouse Gas Accounting Protocol for the International Wine Industry and Calculator” que está disponível para download no site da Winemakers’ Federation of Australia, em http://www.wfa.org.au/responsible/
O consumidor de vinhos do futuro (como os jovens da foto abaixo) ceertamente buscará produtos mais sustentáveis, porque isto já aparece em pesquisas. In Vino Viajas sempre divugará iniciativas neste sentido.
(*) João Monge Ferreira é português, Editor do blog “João Sem Vinho”, Diretor Geral da organização Pequenos Produtores Portugueses, Novos Rurais/Farming Culture e EcoCasa Portuguesa. Fonte: http://joaosemvinho.blogspot.com.br

(*) Rogerio Ruschel é consultor especializado em sustentabilidade no Brasil, jornalista e editor deste blog In Vino Viajas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *