Arte & Cultura

A aventura da vida nas vitrines criativas do Museu de História Natural de Genebra

A aventura da vida nas vitrines criativas do Museu de História Natural de Genebra

2 minutos Por Rogerio Ruschel (*) O Museu de História Natural de Genebra não poderia ter uma localização mais adequada: está no meio de um jardim com árvores enormes e centenárias (como os cedros do Líbano, abaixo), em uma bela colina com vista para a cidade e para o Lago Leman, na região central da cidade. Caso esteja em dúvida, anote: a foto do ambiente do Ártico, acima, é um dos ecossistemas do museu… Como tudo na cidade, o acesso por transporte público é Continue lendo

Fazenda dos Cayres, em São Bernardo do Campo: o elo perdido da vinicultura portuguesa no Brasil?

Fazenda dos Cayres, em São Bernardo do Campo: o elo perdido da vinicultura portuguesa no Brasil?

9 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Arqueólogos encontraram resquícios de uma fábrica de vinhos artesanais da primeira metade do século XX no sítio arqueológico Chácara Cayres, no município de São Bernardo do Campo, distante 20 quilometros de São Paulo, a maior metrópole da America Latina. O proprietário Aurélio Fonseca Fernandes Cayres, português dos quatro costados, utilizava a chácara para lazer familiar mas produzia uva e vinho com tecnologias importadas: experiência portuguesa, barris de carvalho frances, rolhas do Alentejo e garrafas européias de grés. De Continue lendo

Brincando de ser feliz no histórico carroussel da Praça da República de Lyon, França

Brincando de ser feliz no histórico carroussel da Praça da República de Lyon, França

3 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Lyon é a segunda maior cidade francesa, com cerca de 2,2 milhões de moradores na região metropolitana. Fundada em 43 A.C. pelos romanos foi a capital da Gália, é hoje a terceira mais querida grande cidade do país (depois de Paris e Bordeaux) e considerada a capital gastronômica da França – o que não é pouca coisa, cá prá nós. Implantada ao longo dos rios Reno e Saone, foi cenário de eventos históricos e religiosos importantes e tem Continue lendo

Um agradável passeio pelo terroir de Saint-Émillion

Um agradável passeio pelo terroir de Saint-Émillion

6 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Além de mais importante, Bordeaux é a região vinícola mais complexa do mundo. Na verdade os produtores tiveram vários séculos para estudar o terroir (isto é, o conjunto de condições de produção como as características de cada uva, o solo, o clima, a insolação, o regime hídrico, a humidade do ar, etc.), aperfeiçoar os métodos de produção e sofisticar as condições de classificação. Mas basicamente existem cinco grandes áreas vinícolas cortadas por dois rios, o Garonne e o Continue lendo

Feira livre de Genebra: especialidades, queijos, vinhos e diplomacia no cardápio

Feira livre de Genebra: especialidades, queijos, vinhos e diplomacia no cardápio

3 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Quem me dá a honra de ler meus posts sabe que uma das coisas que gosto de fazer é visitar as feiras livres das cidades que visito. Acho que é nas feiras livres que se encontra o essencial da alma e da cultura gastronômica da comunidade, porque é lá que as familias se encontram, e é lá que se conhece realmente os hábitos alimentares das pessoas. Estive algumas vezes em Genebra, e em uma destas vezes fui com Continue lendo

Galápagos: visitantes ilustres, moradores cachaceiros e  animais muito loucos.

Galápagos: visitantes ilustres, moradores cachaceiros e animais muito loucos.

3 minutos   Por Rogerio Ruschel (*) O arquipélago de Galápagos foi “descoberto” em 1535, quando o navio de um bispo do Panamá se desviou de sua rota quando viajava em direção ao Peru; oficialmente o arquipélago foi registrado pela primeira vez em um mapa desenhado por Mercator em 1569.   Fala-se que o primeiro morador das ilhas foi um irlandês chamado Patrick Watkins foi abandonado na ilha em 1807; sem nenhuma base científica, concordo com pesquisadores que acreditam que o cara bebia tanto Continue lendo

Bordeaux: capital do vinho e maior patrimônio urbano protegido pela Unesco

Bordeaux: capital do vinho e maior patrimônio urbano protegido pela Unesco

5 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Segundo uma pesquisa divulgada no segundo dia em que eu estava em Bordeaux, 26 de abril de 2013, a cidade (com 36% dos votos) é a segunda cidade grande mais querida do país na opinião dos próprios franceses; só perde para Paris (com 52% de preferência), mas ganha das cidades de Toulouse (33%), Montpellier (31%) e Lyon (30%) todas muito encantadoras.  Para comemorar fui obrigado a compartilhar com a família do proprietário e outros hóspedes do hotel, algumas Continue lendo

A criativa Festa da Vindima no Clos Montmartre, Paris

A criativa Festa da Vindima no Clos Montmartre, Paris

1 minuto Por Rogerio Ruschel (*) Meu prezado amigo ou amiga, Montmartre é o bairro mais boêmio de Paris, território de artistas como Picasso, Modigliani, Toulouse-Lautrec, Renoir, Van Gogh e Gauguin – na verdade, de centenas de artistas pré-impressionistas, Impressionistas e pós-impressionistas. Então não se pode imaginar que uma das festas mais tradicionais do bairro não tivesse como base da comunicação material gráfico caprichado, posteres muito bonitos como alguns dos que mostramos neste post. A Festa da Colheita ou Festa da Vindima (Fête des Continue lendo

Criatividade e beleza na comunicação visual do turismo em Praga

Criatividade e beleza na comunicação visual do turismo em Praga

2 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Como todas as pessoas, tenho minhas manias. Algumas são convencionais, muitas são estranhas e algumas podem ser extravagantes. Não sei em qual categoria se encaixam duas manias que tenho enquanto jornalista de turismo: fotografar carrousséis (aqueles brinquedos com cavalinhas de madeira, os famosos “mary-go-round” – veja aqui um post em abril/2013) e documentar comunicação de rua, do tipo popular e as placas de bares e restaurantes. Minha formação é comunicação e gosto de imaginar que vejo arte até Continue lendo

Clos de Montmartre: o pequeno vinhedo Goutte D’Or de Paris

Clos de Montmartre: o pequeno vinhedo Goutte D’Or de Paris

3 minutos Por Rogerio Ruschel (*) A França é o mais importante produtor de vinhos do mundo e a capital, Paris, não tem importância econômica para a atividade – mas já teve no passado. Até 1833 Paris era o maior território vinícola da Europa, com 40.000 hectares de parreiras plantadas; em 1474 chegou a existir uma DOC exclusiva, a apelação “Goutte d’Or” e durante o século XVIII Paris era o mais importante produtor de vinhos da França, passando Bordeaux. Hoje resta muito pouco disso, Continue lendo

Conheça o Templo do Sol do Império Inca em Ingapirca, no Equador, onde a existência do mundo era festejada com o vinho dos deuses

Conheça o Templo do Sol do Império Inca em Ingapirca, no Equador, onde a existência do mundo era festejada com o vinho dos deuses

3 minutos Por Rogério Ruschel (*) Alem dos três belos sítios declarados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e mais conhecidos internacionalmente (as ilhas Galápagos, o Centro Histórico de Quito e a cidade de Cuenca), o Equador tem pelo menos mais quatro atrações de primeira classe: a viagem de trem no topo dos Andes (veja um post já publicado aqui no In Vino Viajas), o roteiro dos vulcões, os tesouros da Amazônia e as ruínas da cidade inca de Ingapirca. Nesta reportagem vamos apresentar Continue lendo

Um brinde a Berna, nas montanhas da Suíça, Patrimônio da Humanidade, dos ursos e turistas

Um brinde a Berna, nas montanhas da Suíça, Patrimônio da Humanidade, dos ursos e turistas

4 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Um turista comum, como eu e você, visita Berna por pelo menos uma de quatro razões principais: fotografar o belo centro histórico da cidade, tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco; fazer compras de produtos de alta qualidade como relógios, chocolates, roupas, canivetes e perfumes nos quase 6 km de arcadas, chamadas pelos moradores de “Lauben”; visitar os museus ou pelo menos o Zentrum Paul Klee, um museu modernoso com uma grande coleção das obras deste artista suiço; Continue lendo

Visitando as Ilhas Galápagos, o planeta encantado perdido no Oceano Pacífico, que mudou o mundo

Visitando as Ilhas Galápagos, o planeta encantado perdido no Oceano Pacífico, que mudou o mundo

3 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Galápagos é certamente um dos lugares mais estranhos e curiosos do mundo, e até hoje nunca soube de um turista ou conheci um jornalista que não tenha ficado muito impressionado com o que encontrou lá – de fato, Galápagos merece ser um dos destinos mais desejados do mundo – e tão interessante que vou apresentá-lo aos poucos leitores do In Vino Viajas em vários posts, começando agora.  Perdidas no meio do Oceano Pacífico, cerca de 980 quilometros da Continue lendo

Tim-Tim: um brinde com vinhos BB King, Nelson Mandela ou George Clooney

Tim-Tim: um brinde com vinhos BB King, Nelson Mandela ou George Clooney

3 minutos BB King já havia sido associado a vinhos em um evento no Douro, Portugal, em 2010, com um tema perfeito: B B King e vinho Douro: quanto mais velho, melhor. Por Rogerio Ruschel (*) Se eu fosse “marketeiro” de uma vinícola, certamente apostaria forte nessa tendência: lançar vinhos de autor, e se possível, com o nome de famosos que agreguem volume de fans mas sobretudo credibilidade no que se refere a qualidade. Isto é mais ou menos óbvio, uma vez que vinho Continue lendo

Seis Vinhedos Patrimônio da Humanidade: do Alto Douro de Portugal a Tokay, na Hungria

Seis Vinhedos Patrimônio da Humanidade: do Alto Douro de Portugal a Tokay, na Hungria

4 minutos   Por Rogerio Ruschel (*)   Alguns dos melhores destinos turísticos do mundo estão inseridos em paisagens tão bonitas e historicamente importante que foram reconhecidas pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como Patrimônio Mundial da Humanidade – como os vinhedos do Alto Douro, em Portugal, abaixo. Entre os 962 sítios tombados pela Unesco em 153 países, 188 são naturais, e entre eles estão seis regiões produtoras de vinhos: Alto Douro, Portugal; Vinhas do Pico, Continue lendo

Primavera nos parques de Genebra – 2: tulipas, banhos de sol e visitas a museus

Primavera nos parques de Genebra – 2: tulipas, banhos de sol e visitas a museus

3 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Em post anterior mostramos vários parques e museus de Genebra – veja o post Genebra: um brinde aos museus e parques na primavera neste blogue. Muitos dos mais de 50 parques de Genebra – a Cidade dos Parques – são pequenos e podem estar unidos por pequenas ruas ou alamedas floridas; alguns deles podem sediar museus, organizações internacionais e restaurantes como o Parque da Imperatriz, o Jardim Botanico, Parc L’Ariana (foto abaixo, com o Museu da cerâmica), o Continue lendo

Genebra: um brinde aos museus e parques na primavera

Genebra: um brinde aos museus e parques na primavera

4 minutos Este repórter no Horloge Fleurie, no Jardin Anglais Por Rogerio Ruschel (*) Mesmo com menos de 200 mil habitantes Genebra (foto do centro, abaixo) é a segunda maior cidade da Suiça; destes, pelo menos um terço são estrangeiros, o que a torna uma das mais globalizadas da Europa. Por causa de sua notória independência política, a Suiça é a sede de mais de 20 organizações multilaterais da rede da ONU (veja abaixo) e de 250 organizações internacionais de primeiro time. E a Continue lendo

Calcata: o vilarejo medieval que se recusou a morrer e renasceu na Nova Era

Calcata: o vilarejo medieval que se recusou a morrer e renasceu na Nova Era

2 minutos Por Nadiella Monteiro (*) Os quase 50 km de distância de Roma conseguem disfarçar a longa viagem no tempo, por todos estes séculos que separam Calcata do mundo contemporâneo. Com achados que datam de mais de 800 anos antes de Cristo, seu castelo e os muros que a cercam foram construídos na era medieval. Era uma espécie de pimeira barreira a defender a região e a cidade de Roma. Na década de 1930, com medo de que ruíssem as estruturas vulcânicas onde Continue lendo

Gruyère: queijos e vinhos em um vilarejo encantado com um museu e um bar para alienígenas

Gruyère: queijos e vinhos em um vilarejo encantado com um museu e um bar para alienígenas

5 minutos Por Rogério Ruschel (*) Meu caro leitor ou leitora, provavelmente você já ouviu falar do queijo Gruyère, um dos mais conhecidos e consumidos queijos suiços, ao lado do Emmental, Raclette, Sbrinz, Tilsit e Vacherin Mont’d’Or. E queijo suíço obviamente é fabricado com leite de vacas suíças (como as que aparecem nesta fazenda, abaixo) – o mesmo leite com o qual os suíços fazem chocolate – o que já funciona como certificação de origem. Pois este queijo é fabricado especialmente em Gruyères, minúsculo Continue lendo

Corrupção em Piazza Armerina? Mosaicos maravilhosos e uma tese maluca

Corrupção em Piazza Armerina? Mosaicos maravilhosos e uma tese maluca

4 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Já estava há uns 20 dias viajando pela Sicília e depois de conhecer Taormina, Palermo, Segesta, Érice e Agrigento (veja posts publicados), achei que já tinha conhecido os melhores atrativos da Sicília. Mas o agente de viagens de Messina que estava me ajudando a montar os futuros roteiros turísticos, insistiu que eu devia conhecer Piazza Armerina. Então apontei meu Fiat Panda alugado para o centro da Sicília – e hoje sei que devo muito a esta dica do Continue lendo

As brumas mágicas da sedutora Érice, a cidade siciliana do amor

As brumas mágicas da sedutora Érice, a cidade siciliana do amor

4 minutos Por Rogério Ruschel (*) A cidade de Érice, na Sicilia, só poderia ter sido fundada por um povo que cultuava Vênus, a deusa do amor dos romanos (Afrodite para os gregos). Explico: a povoação foi fundada em torno de 500 AC pelos elimos com o nome de Venere Ericina, para venerar a deusa da fertilidade – e os elimos foram o povo resultante da fusão (quer dizer, transa generalizada) de gregos foragidos de Tróia com os moradores locais, os sicanos (talvez os Continue lendo

Pesquisa comprova que a música melhora a qualidade das uvas nos vinhedos de Montalcino, na Toscana italiana

Pesquisa comprova que a música melhora a qualidade das uvas nos vinhedos de Montalcino, na Toscana italiana

4 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Na propriedade Il Paradiso di Frassina, a menos de 5 quilometros de Montalcino, na provincia de Siena, na mítica e mágica Toscana italiana, onde se produz alguns dos vinhos mais famosos do mundo, como o Brunello di Montalcino e Chiantis, o ex-advogado Giancarlo Cignozzi vem obtendo sucesso científico e popular na produção de uvas tocando música clássica nos vinhedos.    O processo, denominado “produção de vinho fonobiológico” no livro “100 Initiatives that are greening the world” publicado durante Continue lendo

Maravilhas da arquitetura grega em terras italianas: Agrigento e Segesta, na Sicilia, Itália

Maravilhas da arquitetura grega em terras italianas: Agrigento e Segesta, na Sicilia, Itália

5 minutos Por Rogério Ruschel (*) A riqueza cultural e histórica da Sicília é tão surpreendente que na ilha italiana existem mais monumentos da Grécia Antiga do que na própria Grécia. Esta herança também se refere à cultura romana (como a casa romana mais bem conservada do mundo, em Piazza Armerina e se mostra mais exuberante no Vale dos Templos, em Agrigento, e em Segesta, onde está o tempo dórico mais bem preservado do mundo – todos tombados como Patrimônio Histórico da Humanidade pela Continue lendo

Um passeio por Palermo, na Sicilia, Itália, a Cidade dos Reis Mouros com 2.800 anos e seus vinhos Marsala, Delia e Alcamo

Um passeio por Palermo, na Sicilia, Itália, a Cidade dos Reis Mouros com 2.800 anos e seus vinhos Marsala, Delia e Alcamo

5 minutos Por Rogério Ruschel (*) Fundada cerca de 800 anos AC por fenícios vindos de Tiro (Líbano) com o nome de Ziz, a capital Palermo é a quinta maior cidade italiana, com cerca de 1 milhão de habitantes e o principal centro cultural, histórico e econômico da Sicília. Colonizada pelos gregos por mais de 200 anos (que lhe deram o nome de Panormos, que significa “todos os portos”), em 253 AC foi tomada pelos romanos durante as guerras púnicas. Durante séculos os romanos expandiram Continue lendo

Conheça Catania, na Sicilia, Itália – a cidade com arquitetura, arte, erupções e terremotos

Conheça Catania, na Sicilia, Itália – a cidade com arquitetura, arte, erupções e terremotos

4 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Segunda maior cidade da Sicília (320.000 habitantes) depois da capital Palermo, Catania nasceu como um porto e colônia grega no século VIII a.C. pelos calcideses. Por sua localização privilegiada (fica debruçada sobre o Mar Jônico em uma baía que permite abrigar barcos), ao longo do séculos foi ocupada por romanos, ostrogodos, bizantinos, árabes, normandos e outros povos. E cada um destes grupos deixou suas marcas e costumes na cidade e região. Objeto do desejo de muitos invasores, Catania Continue lendo

Produtos da terra: as delícias sicilianas

Produtos da terra: as delícias sicilianas

4 minutos Por Rogério Ruschel (*) Além dos risotos, frutos do mar, carnes variadas e pastas inesquecíveis com molhos e temperos criativos, a gastronomia da Sicília é enriquecida por frutas deliciosas como poucas regiões do mundo.  Entre os deliciosos frutos da terra sicilianos conhecidos na Europa inteira como de alta qualidade, estão morangos, laranjas, amoras, figos, nêsporas, cerejas, amêndoas, peras, pêssegos, ameixas e outras, que crescem com vitalidade especialmente na região onde o solo foi enriquecido por erupções milenares do Etna. Conheça a seguir Continue lendo

Vale do Alcântara: vilarejos mágicos, maccaruni di casa e lemoncellos inigualáveis

Vale do Alcântara: vilarejos mágicos, maccaruni di casa e lemoncellos inigualáveis

5 minutos Vale do Alcântara, Sicília: onde você é dono do seu destino Por Rogério Ruschel (*) Na Província de Messina, entre os montes Peloritanos e o vulcão Etna, na Sicília, fica um vale muito fértil cortado geológicamente pelo rio Alcântara – um dos poucos cursos d’água da Sicilia que tem água o ano inteiro: o Vale do Alcântara  Em casas como essas, de Malvagna, famílias literalmente moram há séculos! O rio nasce no Parque Nebrodi, perto do vilarejo de Floresta (considerado o povoado Continue lendo

Taormina, Don Corleone e o vinho de Plínio, o Velho

Taormina, Don Corleone e o vinho de Plínio, o Velho

5 minutos Por Rogério Ruschel (*) Construída pelo menos 400 anos antes de Cristo sobre o monte Tauro, na beira do mar Jônico, Taormina é uma das cidades mais encantadoras da Sicília – e olha que esta frase é difícil de dizer, caro leitor! Fundada por antigos siculianos, refundada pelos gregos e adotada por romanos poderosos e ricos, a cidade fica entre Messina (52 Km) e Catania (85 km), um dos roteiros mais freqüentados por turistas.  Na verdade Taormina tem sido um dos mais Continue lendo

Vinhos vulcânicos, as montanhas Peloritani e as maravilhas de Tindari

Vinhos vulcânicos, as montanhas Peloritani e as maravilhas de Tindari

4 minutos O promontório de Tindari Por Rogério Ruschel (*) A Província de Messina é delimitada pelos oceanos Tirreno e Jônico e pelos montes Peloritani, uma cadeia de montanhas não muito altas (a Montagna Grande, maior pico, atinge 1.374 metros). De formação ígnea e metamórfica, a cadeia faz parte dos Montes Nebrodi a oeste e da estrutura do vulcão Etna, ao sul, e esconde pequenos vilarejos como Novara di Sicilia, Castroreale e Antillo. Os montes Peloritani vistos de Novara Saindo de Messina pelo litoral Continue lendo

Messina: a terra das Cruzadas, de monstros gregos e vinhos brancos

Messina: a terra das Cruzadas, de monstros gregos e vinhos brancos

3 minutos Messina é uma tres maiores cidades da Sicília (250 mil habitantes) e o ponto da ilha mais próximo do continente italiano: uma ponte imaginária cruzando o Estreito de Messina teria menos de 3,5 quilometros até Villa San Giovani, na Calábria. Como tudo na Sicília, o Estreito – local de tráfego pesado de grandes navios de cruzeiro – é superlativo: fica no Mar Mediterrâneo e liga o Mar Jônico ao mar Tirreno. Muitos mares, muitas travessias, caro leitor… Do Porto de Messina se Continue lendo